Euro 2016

Perfil

Isto é França: 1,5 milhões de adeptos, 90 mil polícias, 10 mil militares, 3500 agentes privados

O Euro está quase a arrancar e o país que o recebe está em estado de alerta por ameaças terroristas. François Hollande mobilizou segurança pública e privada

PASCAL GUYOT

Partilhar

Além das ameaças terroristas – que são “reais”, segundo o presidente François Hollande – as autoridades receiam distúrbios provocados pelas dezenas de milhares de adeptos que vão circular em França durante o Europeu de futebol. Vão sobretudo ser vigiados com particular atenção os chamados hooligans, os adeptos fanáticos, muitos deles conotados com a extrema-direita e o racismo.

No total foram enviados para o terreno 90 mil polícias e dez mil militares, que estão já em alerta máximo. A estes juntam-se mais, pelo menos, 3500 agentes privados de segurança, recentemente contratados para efeito pela organização do Euro2016.

Os serviços secretos estão igualmente mobilizados para vigiar movimentações de suspeitos de ligações a movimentos terroristas e o estado de emergência continuará em vigor durante toda a competição e prolongar-se-á até ao fim da volta à França em bicicleta, em julho. Esta situação excecional permite designadamente que as autoridades façam escutas ou prendam pessoas suspeitas sem necessitarem de qualquer autorização judicial.

As chamadas “fan-zones”, onde dezenas de milhares de adeptos vão seguir os jogos, em diversas cidades, através de ecrãs gigantes, também serão controladas exatamente como à entrada dos estádios, nomeadamente com inspeção de sacos.

A prisão de um alegado terrorista na Ucrânia, a 21 de maio, adensou os receios de ameaças de atentados, mas especialistas não excluem que este francês de 25 anos seja na realidade um traficante de armas.

O Euro2016 deverá atrair a França cerca de 1,5 milhões de adeptos estrangeiros, segundo cálculos oficiais. Na próxima sexta-feira, dia 10 de junho, decorrerá uma mega festa para a abertura do torneio, onde são esperadas perto de 100 mil pessoas, nos jardins de Champ de Mars, junto à Torre Eiffel , em Paris. Uma festa com, evidentemente, a mobilização máxima das forças de segurança.