Euro 2016

Perfil

O jogador mais escaldante fica no banco

Nunca entrou em campo na fase de qualificação. Joga num clube de terceira divisão em Inglaterra. Até à última não se sabia se iria a França com a sua seleção. Mas já prometeu incendiar as bancadas com um cântico que faz furor nas pistas de dança. Quem é este homem “on fire”?

João Santos Duarte

Ouviram bem o que acabei de dizer?

Foto PAUL FAITH/GETTY

Partilhar

A coisa deu-se há precisamente um mês. Sean Kennedy senta-se em frente ao computador com a camisola às ricas azuis e brancas do seu clube vestida. O Wigan Athletic estava prestes a assegurar a subida de divisão e o título de campeão da League One (o que de facto conseguiria logo no domingo seguinte, apesar de goleado por 4-1 em casa frente ao Barsnley). Sean liga a câmara e desata a cantar. A primeira música é uma versão de “This Girl in on Fire”, de Alicia Keys. Mas disso já ninguém se lembra. O que verdadeiramente viria a incendiar os adeptos foi o que fez em seguida, a partir do segundo 55.

He will score goals, he will just score more and more.
He will score goals, that’s what we signed him for.
Will Grigg’s on fire, your defence is terrified!

“Ele vai marcar golos, ele vai marcar mais e mais. Will Grigg está de pé quente, e a vossa defesa está aterrorizada”. Foi com esta letra que Sean quis homenagear o avançado norte-irlandês, que com 28 golos em 40 jogos contribuiu de forma decisiva para a conquista do título da League One (o equivalente à terceira divisão em Inglaterra). Como pano de fundo musical usou um hit dos anos 90, “Freed from desire”, da cantora italiana Gala. Kennedy, conhecido no Youtube como “Kenno”, fez o upload do vídeo como mera brincadeira. Mas aquilo que era apenas um vídeo gravado no computador do quarto tornou-se num caso sério. E já transformou Grigg (não confundir com o grande Giggs, o lendário extremo do Manchester United e do País de Gales), um jogador da terceira divisão mas que vai ao Europeu, num personagem de culto.

Os adeptos começaram a achar graça à música, e a cantá-la de repente nas bancadas do estádio ou nos pubs onde viam os jogos. Os Blonde, um duo de house music sediado em Londres, repararam nela nas redes sociais e decidiram também fazer uma brincadeira por eles próprios. Remisturaram-na com a ajuda do vocalista Zak Abel e lançaram-na com a assinatura de DJ Kenno, numa referência a Sean Kennedy. A canção ficou disponível na internet há apenas uma semana, e já chegou a estar no top 10 do iTunes do Reino Unido. Na capa está uma caricatura de um Will Grigg fumegante…

Há 30 anos que a Irlanda do Norte não chegava a uma fase final de uma grande competição (a última foi o Mundial do México, em 1986), e para sermos honestos, a grande estrela da equipa nem sequer é Grigg, mas Kyle Lafferty. Lafferty, que alinha no Birmingham, apontou 7 golos em 9 jogos na fase de qualificação, e já é o segundo maior marcador de sempre da história da seleção, com 17 golos. (O maior é David Healy, que pendurou as botas em 2013, com uns distantes 36 golos, enquanto que o lendário George Best contou apenas 9 na sua selecção). Mas, por muito que Lafferty possa ser a estrela da equipa, a sua fama está a ser ofuscada por um homem que nem sequer chegou a saltar do banco na fase de qualificação, em que a Irlanda do Norte conseguiu vencer o Grupo F, saíndo por cima de equipas como a Hungria (adversária de Portugal no Europeu de França), a Roménia ou a Grécia.

Grigg tem 24 anos e andou sempre por clubes menores, mas nos últimos dois anos começou a dar nas vistas. Em 2014-2015 apontou 20 golos em 44 jogos pelo MK Dons, e no ano seguinte transferiu-se para o Wigan, da League One, por 1 milhão de libras, onde apontou os tais 28 golos que ajudaram a catapultar a equipa para a subida de divisão. Ainda assim, até ao último momento era incerto se o selecionador Michael O´Neill o iria levar para França. A convocatória acabou mesmo por sair e Grigg apontou o seu primeiro golo ao serviço da seleção há apenas uma semana, num amigável frente à Bielorússia que os norte-irlandeses venceram por 3-0. E qual a música que se ouviu nas bancadas? Aquela, claro está…

A música “Will Grigg´s on fire” promete ser o grande sucesso deste verão nos cafés, bares, e até nas pistas de dança não só na Irlanda do Norte, como em todo o Reino Unido. A música está apenas disponível online, e o dinheiro das vendas no iTunes reverte inteiramente para a fundação Joseph Goal, criada em honra de um jovem adepto do Wigan Athletic que sofre de uma rara doença genética.

Quanto a Sean Kennedy, o adepto que deu origem ao fenómeno, acabou por ganhar um bilhete grátis válido para todos os jogos da próxima temporada do Wigan. Uma oferta do próprio presidente do clube, David Sharpe, por Sean ter inventado, e passamos a citar, “o melhor cântico que o Homem já conheceu”.

https://twitter.com/DavidSharpe91/status/732279128779595776?ref_src=twsrc%5Etfw

A Irlanda do Norte integra o Grupo C do Europeu, e tem como adversários a Alemanha - a campeão do mundo, que procura agora fazer a dobradinha com a conquista do título europeu - a Polónia e a Ucrânia. À partida quase todos garantem que vai ficar em último, mas os norte-irlandeses, que fazem da defesa durinha e da combatividade a sua maior arma, querem causar surpresa. O primeiro jogo é já no próximo domingo, dia 12, frente à Polónia. Nunca se sabe o que vai na cabeça de um treinador, mas é quase certo que Grigg fique mais uma vez no banco. Fica porém o aviso para as defesas contrárias. O homem está “on fire”. E se marcar vai haver haver pista de dança nas bancadas.