Euro 2016

Perfil

UEFA abre inquérito contra a Rússia na sequência dos incidentes em Marselha

A UEFA abriu um procedimento disciplinar à Federação Russa de Futebol, na sequência dos confrontos entre adeptos russos e ingleses em Marselha durante o jogo entre as seleções dos dois países, do Grupo B do Euro 2016.

Lusa

Foto Lars Baron/Getty

Partilhar

Os adeptos russos vão ser investigados por "provocação de distúrbios, comportamento racista e uso de material pirotécnico" pelo Comité de Ética e Disciplina do organismo regulador do futebol europeu, que decidirá eventuais sanções durante uma reunião marcada para terça-feira.

Depois de três dias de violência na zona do porto velho de Marselha, os incidentes alastraram-se às imediações e ao interior do estádio Velodrome, palco do jogo entre ingleses e russos, realizado no sábado, que terminou empatado 1-1.

A UEFA já tinha condenado veementemente os episódios de violência e esclarecido que só poderia atuar no perímetro dos recintos do Euro 2016.

Durante a tarde de sábado, os tumultos na zona do porto velho provocaram 19 feridos, entre os quais um inglês em estado grave, enquanto já perto do estádio a polícia recorreu a gás lacrimogéneo e a um canhão de água para dispersar os adeptos.

O adepto inglês ficou entre a vida e a morte depois de ter sido agredido, cerca das 17:30 locais, "com barras de ferro, aparentemente na cabeça", indicou uma fonte policial.

"As equipas de socorro tentaram reanimá-lo no local, antes de ser transferido para um hospital, acrescentou. O prognóstico vital está comprometido", afirmou o prefeito da polícia de Bouches-du-Rhône Laurent Nunez, reconhecendo que as altercações envolviam "adeptos ingleses, russos e franceses".

Incidentes semelhantes tinham já sido registados na quinta e sexta-feira, em Marselha, mas entre menos adeptos e sem causar feridos graves.

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, condenou "o comportamento irresponsável e deliberado de pseudo-adeptos", na sequência dos "incidentes inaceitáveis" em Marselha.