Euro 2016

Perfil

Nicolau Santos

Nicolau Santos

Diretor-Adjunto

Os deuses gauleses já estão a conspirar contra nós

Nicolau Santos, diretor adjunto, fala sobre a lesão de Ronaldo e os azares portugueses sempre que há franceses pelo meio

Nicolau Santos

Partilhar

Sabe-se a malapata que nós temos contra os franceses. Ele foi o 3-2 no Euro 1984, com Platini a marcar um golo do outro mundo mesmo no final do prolongamento, afastando-nos da final. Ele foi a mão de Abel Xavier no Euro 2000, com Zidane a marcar o penalty que fez o 2-1 no prolongamento - e lá se foi a final outra vez. E houve outros azares de que agora não me lembro. Os franceses, que têm como símbolo o galo, dão-nos obviamente galo.

Só que este ano vai ser diferente. Ou melhor, ia ser diferente. Finalmente, em vez de nenhum avançado, que é a nossa sina, a seleção já tinha um, Cristiano Ronaldo, e passou a ter dois, com Ricardo Quaresma, depois da espantosa exibição que fez contra a Estónia no último jogo de preparação, em que marcou dois golos, deu outros dois a marcar e ainda provocou um auto-golo.

Estávamos, portanto, nós descansados, porque o Euro 2016 eram favas contadas e iam suceder-se as cabazadas, quando se verificaram dois eventos que não estavam previstos. O primeiro é que este Euro, pelo menos até agora, está a ser muito mais equilibrado do que se previa. Até agora ninguém ganhou por mais de uma bola de diferença e os vencedores têm tido de suar as estopinhas para alcançar a vitória. Por isso, a tal da Islândia, que só tem 330 mil habitantes, se calhar em vez de uma pera doce, vai-nos dar água pela barba para ganharmos por 1-0. E depois, e isso só pode ser macumba francesa por parte daquele avançado deles que é das Ilhas Reunião, um tal de Payet, que marcou um grande golo mesmo a acabar o jogo com os romenos e que quer ser a grande estrela deste Euro, roubando o protagonismo a um dos nossos meninos, pois, dizia eu, o segundo evento, mas este mesmo dramático, é que o Ricardo Quaresma, que ia partir as defesas todas e fazer não sei quantos golos e muito mais assistências para o Cristiano Ronaldo marcar outros tantos, o Quaresma, o excecional Quaresma, o piramidal Quaresma, o Harry Potter Quaresma… lesionou-se!

Tenho a certeza que em Marcoussi, onde a seleção está a estagiar antes de rumar a Saint Etienne, local do primeiro jogo, os sinos tocaram a rebate, os bombeiros e as ambulâncias acorreram com as sirenes a apitar e que o povo se dirigiu em romaria para o local onde o Quaresma, o excecional Quaresma, o Harry Potter Quaresma se lesionou, com uma mialgia na coxa, ainda por cima na coxa direita, que é a da perna que o Quaresma utiliza para fazer aquelas magníficas trivelas e aqueles golos que são verdadeiras cartolas por cima dos guarda-redes.

Seguramente que Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa interromperam as suas pesadas agendas em França, onde o Presidente da República e o primeiro-ministro tem condecorado porteiras, elevado o espírito patriótico dos emigrantes e dado novos exemplos de grande solidariedade, com Costa a segurar o chapéu de chuva que permitiu a Marcelo não se constipar enquanto arengava mais uma vez aos nossos compatriotas que trabalham no estrangeiro. Seguramente, dizia, interromperam as suas agendas para se inteirar do estado do galático Quaresma, o fabuloso Quaresma, o Harry Potter Quaresma. Estou mesmo seguro que disponibilizaram o Falcon oficial para transportar o jogador para qualquer ponto do mundo onde o possam curar de imediato.

Porque, não tenhamos dúvidas: a última coisa que nos pode acontecer é Portugal iniciar o jogo com a Islândia sem o Quaresma em campo. Com ele, tudo é possível. Sem ele, metade da nossa certeza de que vamos ganhar o Euro vai logo por água abaixo. E se tivermos de pedir outro resgate para te pores bom, conta connosco, Quaresma! O que nós queremos é ver-te lá dentro a fazer trivelas para o Cristiano Ronaldo e a marcares golos de chapéu. Para os resgates, nós arranjamos sempre solução. Agora para te substituir é que não há ninguém. Põe-te bom, Quaresma! Não nos trames, ainda por cima logo no princípio do Euro!