Euro 2016

Perfil

Afinal, eles sabiam que isto ia ser assim

Nani, André Gomes, Cédric e outros confessaram estar à espera de um jogo difícil, porque os islandeses são “muito agressivos” e “fortes no jogo aéro”

Expresso

Foto JEAN-PHILIPPE KSIAZEK/Getty

Partilhar

Nas habituais entrevistas rápidas logo a seguir ao jogo todos os jogadores da seleção afirmaram que estavam avisados para o estilo de jogo da seleção islandesa. Avisados estavam mas pouco conseguiram fazer para travar as intenções dos islandeses.

Nani que chegou à zona de entrevistas rápidas como o melhor jogador em campo disse que "a equipa teve uma boa prestação em campo e foi superior". O jogador luso lembrou que " noutras alturas também não começámos tão bem mas fomos melhorando". Quanto aos adversários, Nani afirmou que "apostaram no contato físico" e "foram muito agressivos". O marcador do golo português quer virar a página e "as atenções para o próximo jogo".

Já André Gomes admitiu que a equipa portuguesa "demorou a adaptar-se ao estilo de jogo direto da Islândia e ao forte jogo aéreo". Para o médio "a pressão dos próximos jogos não é novidade, está sempre presente".

Para o fim, duas curtas em discuro direto

Cedric: "Tivemos mais oportunidades. Sabiamos que era uma equipa forte no futebol aéreo e no contra-ataque. Acabamos por ser infelizes na finalização. Estamos no início. Temos mais dois jogos muito importantes pela frente"

Quaresma: "Nós gostamos de pressão. Vamos precisar de todos, todos jogamos em grandes equipas e habituados a grandes pressões"