Euro 2016

Perfil

Governo russo considera violência no Euro 2016 "inadmissível"

O governo russo condenou hoje a violência dos adeptos no Euro2016 de futebol, em especial dos russos, considerando os atos "absolutamente inadmissíveis", em alusão aos incidentes de sábado em Marselha.

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

Partilhar

"Podemos apenas pedir aos nossos adeptos para que não reajam a provocações, sejam elas quais forem", disse aos jornalistas um porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, acrescentando que os confrontos entre ingleses e russos foram "inadmissíveis".

Ao longo de todo o fim de semana, antes, durante e depois do jogo Rússia-Inglaterra (1-1), em Marselha, registaram-se vários incidentes violentos implicando adeptos russos, ingleses e franceses. Na segunda-feira, 10 pessoas foram julgadas por envolvimento nos confrontos e condenadas a penas até um ano de prisão, mas nenhum russo foi detido.

Os incidentes provocaram 35 feridos, quase todos ingleses. O mais grave permanecia em estado crítico na segunda-feira, mas estável, segundo o procurador de Marselha Brice Robin.

Após as cenas de violência, a UEFA ameaçou a Inglaterra e a Rússia de exclusão do Campeonato Europeu e hoje é esperada uma decisão relativamente à federação russa, devido a incidentes registados com os seus adeptos no Estádio Vélodrome, nomeadamente agressões a adeptos ingleses, comportamento racista, utilização de fumos e arremesso de objetos