Euro 2016

Perfil

Imprensa internacional destaca Islândia e “ausência” de Ronaldo

O diário espanhol “Marca” titulou como “surpresasson”, numa alusão a surpresa com toque islandês, o empate de Portugal na estreia do Euro 2016, falando de um Cristiano Ronaldo “cinzento”, numa apreciação que se estende por toda a imprensa internacional.

ROBERT GHEMENT

Partilhar

Ainda de Espanha, o também madrileno "As" afirma que "os de Santos dominaram muito e remataram pouco" e que "Cristiano (Ronaldo) teve o empate na cabeça".

Da Catalunha, o "Mundo Deportivo" classifica o empate entre Portugal e a Islândia como uma "bomba", adiantando que "equipa estreante amarga a noite lusa", enquanto o "Sport" diz que "Portugal, de um desesperado CR7, encalha na Islândia".

O francês "L'Équipe" realça o "batismo de sucesso da Islândia", que nunca tinha estado numa fase final de uma grande competição e foi capaz de "surpreender Portugal", que teve um "mau arranque, apesar de 72 por cento de posse de bola".

De Itália, a "Gazetta dello Sport" escreve que Cristiano Ronaldo foi "gelado pela Islândia", afirmando que o 'capitão' português e companhia foram "parados pela pequena seleção do norte da Europa".

Por seu lado, a Inglaterra prefere dar destaque aos islandeses, com a BBC a falar de um "ponto memorável" e o "The Guardian" a exaltar o "herói" Birkir Bjarnason, o autor do golo do empate dos nórdicos, aos 50 minutos.

A cadeia ESPN também destaque a proeza do Islândia, o "mais pequeno país do Euro2016, com 300 mil habitantes", classificando o empate como "heróico".

Do outro lado do atlântico, o brasileiro "Globo" recorda que Cristiano Ronaldo iguala o recorde de internacionalizações 'AA' de Figo (127), mas "fica em branco", num equipa portuguesa que ficou "fora do tom".

Lusa

  • "Desiludidos, mas confiantes"

    No final do jogo, o selecionador nacional disse não estar satisfeito com o resultado. Fernando Santos disse que a equipa acabou por acusar alguma ansiedade depois de ter sofrido o golo da Islândia. Disse também que faltou concretizar as boas ocasiões de golo que Portugal teve.