Euro 2016

Perfil

Selecionador russo diz que desqualificação seria injusta e pede calma

O selecionador russo de futebol, Leonid Slutski, disse hoje que seria injusto se a Rússia for afastada do Euro 2016 devido aos incidentes provocados pelos adeptos e pediu a estes que se comportem de forma adequada.

© Reuters Staff / Reuters

Partilhar

"Falámos com representantes dos adeptos e pedimos-lhes que se comportem. Reitero publicamente: necessitamos do apoio deles, mas, acima de tudo, que o façam dentro da lei. Há que evitar situações perigosas e queremos que entendam a mensagem", comentou Leonid Slutski.

O técnico, que falava na conferência de antevisão do jogo da segunda jornada do grupo B, no qual defrontará na quarta-feira em Lille a Eslováquia, reafirmou que seria uma injustiça caso a sua seleção fosse excluída da competição.

Hoje, o Comité de Disciplina da UEFA decidiu desqualificar a Rússia do Euro 2016 de futebol, com pena suspensa, na sequência dos incidentes de sábado no Estádio Vélodrome, em Marselha, no jogo Inglaterra-Rússia (1-1).

"Esta desqualificação tem pena suspensa até ao final do torneio. Essa suspensão será levantada se ocorrerem incidentes de natureza similar dentro do estádio de qualquer um dos jogos da equipa russa durante a competição", assinalou a UEFA.

O selecionador russo diz que não sabe o que se passou nas ruas de Marselha, mas que o hino da Rússia foi assobiado e que a equipa também quando se deslocava para o estádio e que haverá sempre pessoas que se portam mal.

"Em todos os países há pessoas que vão aos estádios para se comportarem mal e outros que são mais tranquilos. Temos confiança e acreditamos que nenhum dos nossos adeptos repetirá esse tipo de ações e não seremos desqualificados", acrescentou.

O jogo entre Rússia e Eslováquia está a despertar especial atenção, tendo em conta que Lille fica a apenas 40 quilómetros de Lens, onde na quinta-feira Inglaterra e País de Gales se defrontam, esperando-se de 40.000 a 50.000 adeptos.

Lusa

Partilhar