Euro 2016

Perfil

Islandeses dizem que atitude de Ronaldo deixa-o atrás de Messi

Os islandeses criticaram Cristiano Ronaldo, depois de o português ter dito que a Islândia se limitou a defender e a fazer antijogo, no embate de terça-feira no grupo F do Euro2016 que terminou 1-1.

© Jason Cairnduff / Reuters

Partilhar

"A Islândia não arriscou nada, não fizeram mais do que defender, defender, defender e antijogo. Tiveram duas oportunidades e marcaram um golo, a sorte esteve com eles. Na minha opinião é uma mentalidade pequena e é por isso que não farão nada (no Euro2016)", disse o jogador português.

As reações não se fizeram esperar e os islandeses responderam ao internacional português, que ficou em 'branco' no jogo de Saint-Étienne, com Nani a apontar o único golo da seleção das quinas.

"É um futebolista fantástico, mas não é boa pessoa e nós quase ganhámos, o que contradiz o que diz, de que nós não tentámos ganhar o jogo", começou por dizer Kari Arnason, médio que viu Cristiano Ronaldo marcar quatro golos ao Malmoe, na Champions, ao serviço do Real Madrid.

Para Arnason é na atitude que Cristiano Ronaldo falha, o que o faz perder a coroa de jogador mais idolatrado para o rival argentino Lionel Messi.

"Obviamente que não vamos criar tantas oportunidades como uma equipa fantástica como Portugal, mas os comentários dele são a razão pela qual Messi estará sempre um passo à frente", justificou o médio islandês.

Cristiano Ronaldo, que rematou dez vezes, saiu frustrado no final do jogo, e os islandeses entendem que conseguiram sempre dominar o internacional português.

"Não lhe fizemos marcação individual, só tínhamos de estar atentos ao sítio em que ele estava em determinado momento, quando ele chutasse de fora da área e que todos remates fossem bloqueados", acrescentou.

Já o antigo internacional islandês Hermann Hreidarsson classificou Cristiano Ronaldo como um "mau perdedor" e explicou que o português foi "batido" pelo trabalho árduo e incansável da Islândia.

"Ele (Cristiano Ronaldo) pensava que iria ter golos de bandeja", disse à BBC Hermann Hreidarsson, jogador 89 vezes internacional, explicando que Ronaldo, se trabalhasse tanto quanto os islandeses, teria tido os seus prémios.

Lusa