Euro 2016

Perfil

"Golinhos de Ronaldo" festejaram-se já de madrugada em Macau

A "sofrer muito" e com telefonemas para Portugal ao intervalo, os portugueses em Macau esqueceram as sete horas de diferença e celebraram com "os golinhos" de Ronaldo a passagem da seleção à fase seguinte do Euro2016.

© Reuters Staff / Reuters

Partilhar

Há 33 anos em Macau, Santos Pinto, proprietário de um restaurante já frequentado pelos Rolling Stones, vibrava na primeira linha do bar. "É a primeira vez que estou a sofrer. Não estava a acreditar muito nesta seleção e quero que eles ganhem hoje. Quero passar", disse à agência Lusa, ao intervalo.

"Acho que sofro mais cá do que quando estava em Portugal porque é a nossa terra, é o nosso sangue, é a nossa gente que vibra. E eu fico muito nervoso", afirmou, momentos antes de fazer uma chamada para a mãe, que via o jogo em Portugal.

No bar onde se destacavam as camisolas da seleção portuguesa, também se juntaram locais e até um húngaro fez a festa.

Peter Bartusek, residente em Macau, vivia um dilema: "Eu gostava que a Hungria ganhasse, mas não quero derrotar Portugal. Como já estamos [Hungria] entre as equipas apuradas, Portugal precisa de passar, por isso, se ficasse 1-1 ou 2-2 era bom".

O empate foi um pouco mais alargado do que o esperado, mas deixou todos contentes, mesmo aqueles como o jovem João Santos que estava convencido que Portugal ia "obviamente ganhar, pelo menos por dois zero".

O jogo de hoje começou às 00:00 locais e é o primeiro que vê já depois dos exames escolares com a amiga Kenia, nascida no Brasil, e com Martim, nascido em Portugal.

"Estes últimos jogos eram às três da manhã, é um bocado cansativo ficar acordado para ver e ter aulas no dia seguinte. Tínhamos exames nos dias seguintes. Era ver os jogos e estudar ao mesmo tempo. Valeu a pena", disse Kenia.

Ricardo Igreja, advogado, acompanha os jogos à distância de Macau há 17 anos e está habituado a ver a bola nos pontos de convívio em alguns bares da cidade, sobretudo quando são os da seleção: "Por ser o último jogo do grupo é um jogo com mais gente".

Daqui a algumas horas é dia de trabalho. "Custa, mas é a hora a que os jogos são e ver no dia a seguir já não faz sentido", acrescentou.

No final do jogo, Santos Pinto já não voltou a ligar à mãe. "Vou telefonar amanhã e dizer-lhe que valeu a pena estar acordado. Foi bom ver o Cristiano e ver o Ronaldo marcar dois golinhos", rematou.

Foi também Cristiano Ronaldo -- 'C Luo', em chinês - que motivou Vanda a ver o jogo com as amigas. "Eu apoio o C Lou", disse a jovem natural de Macau. "Só sei quem é ele. C Lou foi o primeiro jogador de futebol de quem eu ouvi falar", disse.

Lusa