Euro 2016

Perfil

Presidente da Comissão da Carteira dos Jornalistas: “Ronaldo cometeu um crime”

Pires Teixeira acusa o jogador de ter cometido um crime de liberdade de informação. Já Luís Simões, da direção do Sindicato de Jornalistas, considera que a ação de Cristiano Ronaldo – que atirou o lago um microfone da CMTV – ainda é mais grave por ser o capitão da seleção e um “péssimo exemplo para os mais novos”

Liliana Coelho e Rui Gustavo

REUTERS

Partilhar

Num dia que já se adivinhava de nervos, perante o jogo decisivo de Portugal frente à Hungria para o apuramento para os oitavos de final do Euro 2016, esta quarta-feira fica marcada por um episódio no mínimo insólito. No passeio matinal da seleção em Lyon – em que apenas é permitida a recolha de imagens por parte das televisões, sem direito a perguntas dos jornalistas –, Cristiano Ronaldo reagiu de forma agressiva quando um repórter da CMTV lhe perguntou se estava preparado para o jogo desta tarde, tirando-lhe o microfone da mão e atirando-o para o lago.

Como é que se pode classificar esta ação? Foi de alguma forma violada a lei da liberdade de imprensa? Henrique Pires Teixeira, presidente da Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ), considera que está “em causa um crime de atentado à liberdade de informação”.

Para este advogado, o jornalista da CMTV “estava a trabalhar e a cumprir a sua função”. Só resta saber se Ronaldo agiu “com intenção de o impedir de informar ou se havia alguma picardia anterior entre ambos.” O jurista diz ainda que se trata “de um crime público” e que por isso “o MP teria de investigar.” Só não o fará porque "o eventual crime foi cometido em França e terão de ser as autoridades francesas a investigar".

O antigo presidente da Comissão da Carteira não alinha por este entandimento. “Não. Este ato não apresenta contornos de um atentado à liberdade constitucional em informar. Apenas e tão só poderá revestir-se de um crime de dano simples”, diz ao Expresso Pedro Mourão, juiz e ex-presidente da CCPJ.

Já para Luís Simões, jornalista da “Bola” e membro da direção do Sindicato de Jornalistas, a atitude de Ronaldo “não constitui uma violação, mas sim um atropelo à liberdade de imprensa e um crime de dano, caso o microfone tenha ficado danificado.”

“Sem dúvida que é um comportamento não adequado, muito menos por parte do capitão da seleção nacional. O que torna ainda mais grave é ter sido um ato agressivo levado a cabo pelo capitão. Mesmo que não se pudessem colocar questões, não devia responder com agressividade”, acrescenta.

Também Pedro Mourão considera que nada justifica o comportamento do capitão da seleção, constituindo um mau exemplo sobretudo para os mais jovens. “Se não queria responder à pergunta do jornalista, estava no seu direito e só tinha que seguir o seu caminho. Não é assim que se resolvem tratamentos jornalísticos, que porventura não se terá gostado. É um péssimo exemplo, principalmente para os mais novos, que veem um herói neste capitão da seleção, mas como no dirigismo federativo já temos um mau exemplo sigamos em frente”, frisa Pedro Mourão.

Contactado pelo Expresso, Octávio Ribeiro, diretor do “CM”, revela que o matutino vai apresentar uma queixa contra o capitão da seleção nacional.

Recorde-se que a má relação entre Cristiano Ronaldo e o “Correio da Manhã” não é recente. Há dois anos, o jogador do Real Madrid recusou-se a responder a uma pergunta de uma jornalista do órgão da Cofina, durante uma conferência de imprensa. “CMTV? O que é isso? Esqueça, que eu não vou responder. Não vale a pena”, disse na altura o futebolista.

O jogador já processou várias vezes o jornal por alegados boatos e violação da privacidade.

  • Incidente com Ronaldo na contagem decrescente para o jogo decisivo

    Na contagem decrescente para o jogo decisivo com a Hungria no Euro 2016, a seleção nacional de futebol passeou esta manhã, em Lyon, entre adeptos emigrantes. Um banho de multidão marcado por um incidente com Cristiano Ronaldo. O capitão da seleção nacional irritou-se e atirou o microfone de um repórter da estação de televisão CMTV para o lago.