Euro 2016

Perfil

Alguns destes números vão mudar hoje

É hoje às 8 da noite. Eis uma série de curiosidades que podem até servir de desbloqueadores de conversa na esplanada, enquanto o Portugal-França não começa. Do zero ao 79.115, as finais do campeonato da Europa de futebol em números:

Lusa

© Reuters Staff / Reuters

Partilhar

0: Vitórias de Jugoslávia, Bélgica e Portugal, as três seleções que jogaram finais e não ganharam.

1: Finais decididas num segundo jogo, em 1968, com a Itália a vencer a Jugoslávia por 2-0, depois de um primeiro encontro que terminou empatado a um golo.

2: Finais decididas com golo de ouro, pelo alemão Oliver Bierhoff, em 1996, e o francês David Trezeguet, em 2000.

3: Jogadores que bisaram em finais, todos alemães: Gerd Müller, em 1972, Horst Hrubesch, em 1980, e Oliver Bierhoff, em 1996.

4: Golos da Espanha, na final de 2012, com a Itália (4-0), no que foi a maior goleada em finais.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

5: Seleções com balanço positivo em finais, a Espanha (três vitórias e uma derrota), a França (2-0), a Holanda (1-0), a Dinamarca (1-0) e a Grécia (1-0).

6: Finais disputadas pela RFA/Alemanha, que venceu três e perdeu outras tantas.

7: Jogos disputados pelo vencedor da edição de 2016, a primeira com 24 seleções e com oitavos de final. A final de hoje será o sétimo jogo de Portugal e da França.

8: Seleções com finais perdidas, a União Soviética (três), a RFA/Alemanha (três), a Jugoslávia (duas), a Itália (duas), a Espanha (uma), a República Checa (uma), a Bélgica (uma) e Portugal (uma).

9: Grandes penalidades necessárias para decidir a final de 1976, única que chegou à lotaria. A última (5-3) do checoslovaco Antonin Panenka, no que ficou para a história com o penálti à Panenka.

Platini ergueu a taça em 1984

Platini ergueu a taça em 1984

AP

10: Número de Michel Platini, o jogador que marcou nove golos no Euro 84, o último na final, de livre direto.

12: Seleções que já disputaram a final, sendo que nove venceram a prova, a RFA/Alemanha (três), a Espanha (três), a França (duas), a União Soviética (uma), a Itália (uma), a Checoslováquia (uma), a Holanda (uma), a Dinamarca (uma) e a Grécia (uma).

14: Finais já disputadas.

16: Total de finais de Alemanha (seis), Espanha (quatro), França (três - incluindo a de 2016) e Itália (três), as quatro seleções que já venceram o título europeu e o mundial.

18: Idade de Renato Sanchez, que se pode tornar domingo o mais jovem jogador a disputar uma final.

19: Idade de Cristiano Ronaldo, o mais jovem jogador a disputar uma final, em 2004.

20: Idade do italiano Pietro Anastasi, o mais jovem jogador a marcar numa final, em 1968.

21: Jogadores utilizados por Portugal no Euro 2016, em vésperas da final.

30: Idade do alemão Bernd Hölzenbein, o mais velho jogador a marcar numa final, em 1976.

32: Anos que separam as duas primeiras finais da Itália, em 1968 e 2000.

37: Idade do holandês Arnold Mühren, o mais velho jogador a vencer uma final, em 1988.

38: Golos marcados em finais.

43: Minutos necessários para o primeiro golo da história das finais, apontado pelo jugoslavo Milan Galic.

44: Anos que separam os dois primeiros títulos da Espanha, conseguidos em 1964 e 2008.

54: Minuto do golo de Marco van Basten, que é considerado o melhor de todas as finais. A Holanda conquistou o seu único título internacional, ao vencer a União Soviética por 2-0.

Carlo Fumagalli/AP

57: Minutos do golo do grego Angelos Charisteas, que, em 2004, 'escreveu' a 'pior' derrota da história do futebol português, em pleno Estádio da Luz.

84: Com um golo aos 84 minutos, em 2012, o espanhol Fernando Torres tornou-se o primeiro jogador a marcar em duas finais, quatro anos depois de decidir a de 2008.

113: Minuto do golo que decidiu a primeira final, apontado pelo soviético Viktor Ponedelnik, face à Jugoslávia.

1960: Primeira final, disputada em Paris, entre a União Soviética e a Jugoslávia.

2004: Final disputada em Portugal e única que acabou com a derrota da equipa da casa no jogo decisivo.

2012: Ano de ouro para o português Pedro Proença, que arbitrou a final do Europeu, depois de já ter ajuizado a final da Liga dos Campeões.

79.115: Recorde de espetadores presentes numa final, em 1964, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, onde a Espanha venceu a União Soviética por 2-1.