Euro 2016

Perfil

Portugal em contagem decrescente

Portugal vai tentar domingo conquistar pela primeira vez o campeonato da Europa de futebol, mas pela frente vai ter uma seleção francesa a atuar em 'casa' e que chega à final do Stade de France como favorita.

Partilhar

© Reuters Staff / Reuters

Ironia do destino, para chegar ao tão ambicionado e aguardado título, a seleção nacional terá que ultrapassar uma equipa que nos últimos 40 anos ganhou e reforçou o estatuto de 'besta negra' de Portugal nas grandes competições.

Os franceses, que têm um registo de 10 vitórias consecutivas, impediram a formação das 'quinas' de alcançar a final do Euro1984 (3-2), do Euro2000 (2-1) e do Mundial2006 (1-0) e agora aparecem como o último obstáculo no caminho para a inédita conquista de um Europeu.

Mesmo sem deslumbrar na competição, com apenas uma vitória nos 90 minutos, a verdade é que Portugal alcançou o direito de disputar a segunda final da sua história, depois da presença na do Euro2004, num encontro em que Pepe é a principal dúvida nas ideias do selecionador Fernando Santos.

O central do Real Madrid falhou o jogo das 'meias' com o País de Gales (2-0), devido a problemas musculares, tendo sido rendido por Bruno Alves, mas tudo indica que irá recuperar a tempo de poder pisar no dia 10 de julho o relvado do Stade de France.

De resto, Fernando Santos deverá ter todos os jogadores disponíveis, incluindo, claro, o 'capitão' Cristiano Ronaldo, melhor marcador de Portugal na prova, a par de Nani, com três golos, e de sempre da competição, com nove, os mesmos que o já reformado Michel Platini.

Ronaldo deverá voltar a fazer dupla com Nani no ataque de Portugal, num 'onze' que não deve fugir muito ao apresentado frente aos galeses. Após castigo, William Carvalho é esperado que regresse, ficando Danilo Pereira no banco.

Com boas prestações nos jogos a eliminar, Cédric e José Fonte estão praticamente garantidos na equipa titular, assim como Adrien e Renato Sanches. Contudo, João Moutinho e André Gomes podem ser uma das surpresas de Fernando Santos.

Depois de três empates no Grupo F, com Islândia (1-1), Áustria (0-0) e Hungria (3-3), Portugal ultrapassou nos 'oitavos' a Croácia (1-0 após prolongamento), nos 'quartos' a Polónia (1-1 após prolongamento e 5-3 nas grandes penalidades) e nas 'meias' o País de Gales (2-0).

Registo bem diferente teve a França, que chega à final tendo cedido apenas um empate em toda a competição, com a Suíça (0-0), na última jornada do Grupo A.

De resto, a formação gaulesa venceu todos os jogos, sem nunca ter precisado de tempo extra. Bateu Roménia (2-1) e Albânia (1-0), na fase de grupos, e ultrapassou República da Irlanda (2-1), Islândia (5-2) e Alemanha (2-0) nas eliminatórias, respetivamente.

Com seis golos, Antoine Griezmann tornou-se a grande figura da formação de Didier Deschamps, beneficiando também da ausência de Karim Benzema, devido a questões extra futebol, mas a figura mais surpreendente tem sido Payet, médio do West Ham, decisivo em alguns jogos.

O avançado Giroud, o 'patinho feio' desta equipa, devido à sua relação conturbada com os adeptos, leva três golos, enquanto, no meio campo, Paul Pogba começou mal a prova, mas cresceu durante as eliminatórias.

Na baliza, Hugo Lloris protagonizou algumas das melhores defesas da prova, apesar dos quatro golos que sofreu, todos em triunfos dos gauleses.

O Portugal-França está agendado para as 21:00 locais (20:00 horas de Lisboa) e terá arbitragem do inglês Mark Clattenburg.