Euro 2016

Perfil

Cristiano Ronaldo iguala Platini como melhor marcador da história dos Europeus

O futebolista português Cristiano Ronaldo igualou o francês Michel Platini como melhor marcador da história dos Europeus de futebol na edição de 2016, enquanto, coletivamente, a Alemanha 'fugiu' à ausente Holanda.

© Charles Platiau / Reuters

Partilhar

Ao marcar três golos no Euro2016, dois à Hungria (3-3), na fase de grupos, e um ao País de Gales (2-0), nas meias-finais, o 'capitão' da seleção lusa passou a contar nove, os mesmos que Platini logrou na edição de 1984.

Por seu lado, Ronaldo, que hoje só esteve em condições nos primeiros oito minutos, saindo lesionado aos 25, conseguiu-o em quatro edições, sendo que tinha marcado dois em 2004, um em 2008 e três em 2012, sendo, então, um dos melhores marcadores da prova.

Os três tentos no Euro2016 não valeram, como em 2012, o título de melhor marcador, que foi arrebatado pelo francês Antoine Griezmann, autor de seis, o segundo melhor registo de sempre, apenas inferior aos nove de Platini em 1984.

O jogador com mais jogos (133) e golos (61) pela seleção 'AA' estreou-se a marcar com 19 anos, no desaire por 2-1 de Portugal com Grécia, no jogo inaugural do Euro2004.

Depois marcou nas vitórias face à Holanda (um no 2-1 das meias-finais de 2004 e dois no 2-1 da fase de grupos de 2012) e à República Checa (3-1 em 2008, nas fase de grupos, e 1-0 em 2012, nos quartos de final).

O jogador português partiu para o Euro2016 na terceira posição, também atrás do inglês Alan Shearer (sete golos), e poderia mesmo ter-se isolado na liderança, o que não aconteceu porque ficou em 'branco' na final.

Se Platini e Ronaldo repartem a liderança em termos individuais, coletivamente a Alemanha, com os sete golos de 2016, destacou-se ainda mais na liderança, com um total de 72, mais 10 do que a França, que somou 13 e ascendeu do quarto ao segundo posto, beneficiando da ausência da Holanda (terceira, com 57).

A Espanha é quarta, com 55 golos, enquanto Portugal isolou-se no quinto lugar, com 49 - o último de Éder, que valeu o primeiro título à formação das 'quinas' -, apesar de contar apenas sete presenças em fases finais.

No total das 15 edições (disputadas de quatro em quatro anos ininterruptamente desde 1960), foram apontados 687 golos, em 286 jogos (média de 2,40 golos por encontro), sendo o recorde os 108 do Euro2016, o primeiro com 24 equipas e 51 jogos.

Em termos de média, a edição de 1976, realizada na Jugoslávia, foi a mais produtiva, com 4,75 por encontro (19 em apenas quatro jogos), enquanto a mais pobre foi a de 1968, em Itália, com escassos 1,40 (sete em cinco jogos).

Na história dos Europeus está também o jugoslavo Milan Galic, autor do primeiro golo em fases finais, a 06 de julho de 1960, na vitória por 5-4 sobre a França, nas meias-finais.

Lusa