Euro 2016

Perfil

GRUPO F

Se o mister diz, quem somos nós para contrariar? “Se ganharmos o Euro só com empates não fico chateado”

Fernando Santos não quer saber de mais ou menos favoritismos para o jogo contra a Croácia: o que lhe interessa é passar, seja de que forma for

Fernando Santos está sorridente porque acredita na vitória portuguesa frente à Croácia, nos oitavos de final do Euro

Getty

Partilhar

Que Fernando Santos é um treinador pragmático já todos sabíamos - ou não tivesse Portugal terminado a qualificação para o Europeu só com vitórias pela margem mínima. Mas o selecionador português voltou a recordar-nos essa faceta esta tarde, em Lens, na conferência de imprensa de antevisão do Portugal-Croácia, que será disputado sábado (20h, RTP1). "Se quiserem que eu ganhe o Campeonato da Europa só com empates, eu assino já por baixo", garantiu. "Claro que quero que a minha equipa jogue bem e estou a dizer-vos isto em tom de brincadeira, mas acho que se ganharmos assim ninguém ficava chateado, o país festejava na mesma", acrescentou.

O selecionador voltou a elogiar as exibições de Portugal no Europeu, apesar de os resultados obtidos não terem sido os melhores, e disse que o jogo dos oitavos de final será bem diferente, precisamente por ser uma eliminatória. "Portugal empatou três jogos mas é preciso olhar com olhos de ver. Fomos melhores nos três jogos que fizemos. É verdade que não vencemos, ou porque não finalizámos bem, ou porque sofremos muitos golos, o que não é norma nesta equipa", explicou. "A questão central é que é uma final, porque nos jogos a eliminar é tudo diferente. Tenho a certeza que não será tarefa fácil mas para a Croácia também não".

Apesar de o selecionador croata, Ante Cacic, ter dito que não havia favorito num jogo assim, Fernando Santos disse que entendia se a Croácia entrasse com mais confiança, pelos resultados da fase de grupos, e desvalorizou a ausência de Modric, por lesão (entretanto já recuperou), do jogo contra a Espanha. "Não sendo um dos tais favoritos que as pessoas gostam de apontar, é uma equipa daquelas que pode conquistar a prova, porque tem muita qualidade, como nós, e também vem tentar chegar longe. Modric não jogou com a Espanha e a Croácia ganhou - isso por si só diz da valia desta grande equipa", disse.

"Obviamente a Croácia não vai prescindir de ter a bola, mas nós também não. É normal que ambas se equivalem nesse aspeto. E também precisamos de ter uns grandes...", gracejou, referindo-se às declarações do diretor desportivo do Dínamo de Zagreb, Marko Vukelic, que disse ao Expresso (pode ler a entrevista completa amanhã) que o que distingue os jogadores croatas, para além das suas valências técnicas, é o facto de "terem uns grandes tomates".

Questionado pelos jornalistas sobre Cristiano Ronaldo, depois do episódio do microfone, o selecionador não se desviou do essencial: futebol. "É um jogador que fez um jogo fantástico, fez dois golos soberbos - e um deles parece que está a ser considerado para melhor do torneio, não é?"

Sobre o curto período de recuperação - apenas 72 horas - Fernando Santos disse que não ia utilizar essa questão como "alibi" para qualquer resultado menos positivo: "Se fosse no início da época, 72 horas permitia uma recuperação normal, mas em final de época claro que preferia ter mais tempo. É demasiado cedo para jogar, mas não vale a pena estar a arranjar desculpas".

João Mário, sentado ao lado de Fernando Santos, disse o mesmo. "Sabemos que o tempo de recuperação é curto, mas não há qualquer cansaço que amanhã nos impeça de correr e sonhar", assegurou. "Sabemos o que temos de fazer para ultrapassar o adversário", acrescentou, referindo que a falta de golos nos primeiros jogos foi normal. "Os jogos de seleção são sempre diferentes, muito táticos porque todos defendem sempre muito bem. Mas não acho que tenha faltado criatividade à seleção", disse.

O médio português - que voltou a dizer que quer "é jogar", independentemente de ser na ala ou no meio - também garantiu que a seleção não terá problemas em ganhar nos penáltis, se for caso disso. "Estamos preparados para isso. Se tiver de ser, iremos a penáltis para vencer, com todo o gosto".