Euro 2016

Perfil

Selecionadores

Gianni di Biasi

O homem que tramou Paulo Bento

Partilhar

Foto David Rogers

Levar a Albânia à sua primeira competição internacional foi grande feito de quem, até aqui, tinha como maior orgulho o de ter treinado Roberto Baggio.

Este italiano de 59 anos nunca foi um grande jogador de futebol, nem sequer chegou perto de ser internacional. Andou quase sempre pelas divisões inferiores do futebol italiano. A fase de maior brilhantismo terão sido os cinco anos passados ao serviço do Brescia. É verdade que durante este período apenas por uma temporada a equipa logrou disputar a Seria A italiana. Mas, para a história deste centro-campista acabam por ficar os 14 golos marcados em 161 partidas. Depois, seguiu-se uma passagem de três anos pelo Palermo, antes do declínio até à Serie D, em 1990, ao serviço do Bassano.

Foi neste mesmo clube que iniciou a carreira de treinador, nas camadas jovens. A carreira lá se foi construindo, um pouco aos tropeções, até que, em 2000 chega ao Modena, da Serie C. Com duas brilhantes temporadas e outras tantas promoções leva o clube de regresso ao primeiro escalão, após 38 anos de ausência. Depois de deixar o clube num honroso 13º lugar da Serie A, em 2003, Di Biasi iniciou uma fase de sete anos conturbados por muitas saídas e entradas do Torino, passagens pelo Brescia, Levante de Espanha e Udinese. Anos marcados por algumas manutenções, outros tantos despedimentos, clubes falidos. Marcante, marcante, terá apenas sido o pouco tempo em que, à frente do Brescia, pode orientar o grande Roberto Baggio, na sua última temporada.

Em 2011, Gianni é convidado para assumir o comando da seleção nacional da Albânia. E o que se viu, desde então, é um verdadeiro conto de fadas para os albaneses. Na qualificação para o Mundial de 2014 bateu-se bem, mas ficou em 5º lugar do grupo. Já no apuramento para o Euro 2016, os portugueses lembram-se bem da Albânia. Paulo Bento, aliás, não a deverá esquecer, pois foi depois de uma escandalosa derrota caseira frente aos albaneses, na jornada inaugural, que o ex-selecionador foi forçado a dar lugar a Fernando Santos.

Além desse início de qualificação extraordinário, a equipa de Di Biagio realizou uma qualificação de sonho, garantindo à Albânia a primeira presença numa fase final, deixando para trás seleções do valor da Dinamarca e da Sérvia. Um feito notável! Vamos ver se o repete frente às seleções da França, da Suíça e da Roménia.