Tribuna Expresso

Perfil

Football Leaks

Cristiano Ronaldo acusado em Espanha de fraude fiscal

A justiça espanhola acusa Ronaldo de fugir ao Fisco entre 2011 e 2014. De acordo com a investigação do Football Leaks noticiada pelo “El Mundo”, o jogador terá desviado cerca de 15 milhões de euros provenientes dos seus direitos de imagem através de paraísos fiscais

Maria João Bourbon

Getty Images

Partilhar

Aquele que é considerado o melhor jogador do mundo foi formalmente acusado pelo Ministério Público de Espanha de ter defraudado as Finanças espanholas em 14,7 milhões de euros, em quatro delitos cometidos entre os anos fiscais de 2011 e 2014.

Segundo a investigação do Football Leaks, publicada no “El Mundo”, Cristiano Ronaldo ter-se-á aproveitado da Tollin Associates LTD, estrutura societária criada em 2010 e domiciliada nas Ilhas Virgens Britânicas (da qual era sócio único), para ocultar rendimentos gerados em Espanha, relacionados com direitos de imagem. Ronaldo terá simulado ceder os direitos de imagem a esta sociedade, que por sua vez cedeu a sua exploração à sociedade irlandesa Multisports & Image Management (MIM) LTD, alegamente utilizada por outros jogadores agenciados por Jorge Mendes para fugir ao Fisco - Fábio Coentrão, Falcão, Di María e Ricardo Carvalho -, que também estão a ser investigados.

A denúncia do Ministério Público baseia-se num relatório da Autoridade Tributária espanhola, onde se sublinha que o jogador português conferiu poder ao seu agente para fechar contrato com o Real Madrid entre 2009 e 2015, adquirindo posteriormente residência fiscal em Espanha, condição que entrou em vigor em janeiro de 2010.

Em comunicado enviado à imprensa espanhola, o Ministério Público espanhol considerou o incumprimento fiscal do futebolista “voluntário” e “consciente”, acusando Ronaldo de ter tido “a intenção de obter um benefício fiscal ilícito” através de um paraíso fiscal. E acrescentou que a alegada fraude corresponde a 1,39 milhões de euros em 2011, 1,66 milhões em 2012, 3,2 milhões em 2013 e 8,5 milhões em 2014.

A confirmar-se a existência de fraude fiscal, Ronaldo pode ser sujeito a uma pena de um a cinco anos de prisão, de acordo com a lei espanhola.

Notícia atualizada às 12h12