Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

F1 – GP do Japão. “Pole” decidida por 0,013”

O alemão Nico Rosberg (Mercedes) garantiu a “pole position”, oitava do ano, para o GP do Japão, ao bater o seu colega de equipa, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes), por 0,013”

Pedro Roriz

Comentários

Clive Mason/GETTY

Partilhar

Uma vez mais, e como é costume, foi intenso o duelo travado entre os dois pilotos da Mercedes, com o inglês a ser o mais rápido na primeira tentativa, para o alemão levar a melhor na segunda.

É a 30.ª “pole position” de Nico Rosberg, o que o coloca como o oitavo piloto a largar da primeira posição da grelha, atrás do alemão Michael Schumacher (69), do brasileiro Ayrton Senna (65), do inglês Lewis Hamiton (57), do alemão Sebastian Vettel (46), do inglês Jim Clark (33), do francês Alain Prost (33) e do inglês Nigel Mansell (32).

Embora num traçado como o de Suzuka, onde as ultrapassagens não são difíceis, a “pole” não seja determinante, a “vitória” de Nico Rosberg pode ter afectado a confiança do seu opositor, ainda, a digerir a derrota da semana passada em Sepang (Malásia), que lhe custou, não só, o comando do campeonato, mas também, ver o pontual subir para 23 pontos, num ano em que

Nico Rosbegr tem mais vitórias (8) do que Lewis Hamilton (6).

E se no passado, em particular no tempo em que a F1 era dominado pelo duelo franco-brasileiro (Alain Prost-Ayrton Senna), Suzuka decidiu o título, desta feita isso não sucederá, uma vez que depois a prova nipónica, ainda, haverá mais quatro corridas (Estados Unidos, México, Brasil e Emiratos).

Sem surpresa, também, a segunda linha é partilhada pelos Ferrari, com o finlandês Kimi Raikkonen a bater o alemão Sebastian Vettel, enquanto a terceira é partilhada pelos Red Bull, a única que usou colocar em causa a superioridade da Mercedes, com o holandês Max Verstappen a suplantar o australiano Daniel Ricciardo.

O mexicano Sérgio Peez (Force Índia) e o francês Romain Grosjean (Haas) dividem a quarta linha, com a particularidade de terem efectuado o mesmo tempo (1’31,961”), com o mexicano a partir à frente por o ter alcançado 24” antes do seu opositor.

Desilusão para a McLaren/Honda que viu o inglês Jenson Button não passar da Q3 e o espanhol Fernando Alonso averbar o penúltimo tempo da Q2, num traçado onde os japoneses queriam brilhar.

Grelha de partida oficiosa:

1.ª linha: Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), 1’30’647”; Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), 1’30,660”; 2.ª linha: Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), 1’30,949”; Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrari), 1’31,028”; 3.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB12/TAG-Heuer), 1’31,178”; Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), 1’31,240”; 4.ª linha: Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), 1’31,961”; Romain Grosjean (Haas VF16-Ferrari), 1’31,961”; 5.ª linha: Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), 1’32,142”; Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), 1’32,547”; 6.ª linha: Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), 1’32,315”; Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), 1’32,380”; 7.ª linha: Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11/Ferrari), 1’32,623”; Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), 1.32,685”; 8.ª linha: Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), 1’32,689”; Jolyon Palmer (Renault RS16/Renault), 1’32,807”; 9.ª linha: Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), 1’32,851”; Kevin Magnussen (Renault RS16/Renault), 1’33,023”; 10.ª linha: Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), 1’33,222”; Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), 1’33,332”; 11.ª linha: Esteban Ocon (Manor MRT05/Mercedes), 1’33,353”; Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), 1’33,561”;

Classificações dos Mundiais, antes do GP do Japão:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 288 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 265; 3.º, Daniel Ricciardo, 204; 4.º, Kimi Raikkonen, 160; 5.º, Sebastian Vettel, 153; 6.º, Max Verstappen, 147; 7.º, Valtteri Bottas, 80; 8.º, Sergio Perez, 74; 9.º, Nico Hulkenberg, 50; 10.º, Fernando Alonso, 42; 11.º, Felipe Massa, 41; 12.º, Carlos Sainz, 30; 13.º, Romain Grosjean, 28; 14.º, Daniil Kvyat, 25; 15.º, Jenson Button, 19, 16.º, Kevin Magnussen, 7; 17.º, Stoffel Vandoorne, Pascal Wehrlein, Jolyon Palmer, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 553 pontos; 2.º, Infiniti Red Bull Racing, 359; 3.º, Scuderia Ferrari, 313; 4.º, Sahara Force Índia F1 Team, 124; 5.º, Williams Martini Racing, 121; 6.º, McLaren/Honda, 62; 7.º, Scuderia Toro Rosso, 47; 7; 8.º, Haas F1 Team, 28; 9.º, Renault Sport F1 Team, 8; 10.º, Manor Racing MRT, 1.