Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

F1 – GP do Japão. Nico Rosberg (Mercedes) com o título na mão

Vencedor, pela primeira vez, do GP do Japão, o alemão Nico Rosberg (Mercedes) pode ter dado um passo decisivo para conquistar o título de pilotos, com a marca alemã a festejar, desde já, o de construtores, o terceiro consecutivo

Will Taylor-Medhurst/GETTY

Partilhar

É que ao ganhar 10 pontos ao Lewis Hamilton, seu companheiro de equipa, que, com uma partida desastrosa, caiu para oitavo e só conseguiu recuperar até ao derradeiro lugar do pódio, Nico Rosberg passa a dispôr de 33 pontos de avanço, o que significa que pode ser segundo, nas quatro corridas que faltam, mesmo que o inglês as vença para lhe suceder na lista de campeões do Mundo e tornar-se no primeiro filho a suceder ao pai (Keke Rosberg, em 1982) como detentor do título.

Sem nada a perder, depois de ter falhado a partida, segundo o piloto “por ter cometido um erro”, Lewis Hamilton foi recuperando lugares até chegar atrás do holandês Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer), com o inglês a atacar até ao fim e o holandês a defender a posição.

Numa tentativa “desesperada”, Lewis Hamilton tentou a ultrapassagem na “chicane” que antecede a meta, na penúltima volta, mas teve de seguir em frente e se perdeu as escassas hipóteses que tinham de chegar ao segundo lugar conseguiu, em contrapartida, garantir que a Mercedes conquistasse o título de construtores, com o piloto a valorizar muito mais esse facto do que o sucedido à partida, nas suas declarações.

Max Verstappen, autor de um bom arranque, foi o seguidor fiel de Nico Rosberg, mas nunca esteve em condições de “assaltar” o comando e só se sentiu ameaçado, nas derradeiras voltas, face ao “forcing” de Lewis Hamilton.

A Ferrari colocou os seus carros nos lugares seguintes, com o alemão Sebastian Vettel a levar a melhor sobre o finlandês Kimi Raikkonen, mas o primeiro pode queixar-se da táctica utilizada pela marca de Maranello que, ao atrasar a segunda paragem, para a montagem de pneus macios, o poderá ter impedido de ir ao pódio.

Vencedor, a semana passada, na Malásia, o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer) foi um discreto sexto, à frente dos dois homens da Force Índia, que reforçaram o quarto lugar da marca no “Mundial” de Construtores por ter suplantado os Williams, que fecharam o lote dos lugares pontuáveis.

Mau desempenho da Honda que, “a jogar em casa”, não conseguiu melhor do que o 16.º (Fernando Alonso) e 18.º (Jenson Button) lugares, numa corrida em que os 22 carros que partiram chegaram ao fim

Classificação – 1.º, Nico Rosberg (Mercedes MGP W07/Mercedes), 53 voltas (307,471 km), em 1.26’43,333” (212,728 km/h); 2.º, Max Verstappen (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 4,978”; 3.º, Lewis Hamilton (Mercedes MGP W07/Mercedes), a 5,776; 4.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrrari), a 20,269”; 5.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 28,370”; 6.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/TAG-Heuer), a 33,941; 7.º, Sergio Perez (Force India VJM09/Mercedes), a 57,495”; 8.º, Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), a 59,177”; 9.º, Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 1’37,763”; 10.º, Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 1’38,923”; 11.º, Romain Grosejan (Haas VF-16/Ferrari), a 1’39,254; 12.º, Jolyon Palmer (Renault RS16/Renault), a 1 volta; 13.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 14.º, Kevin Magnussen (Renaulr RS16/Renault), a 1 volta; 15.º, Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), a 1 volta; 16.º, Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 17.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1 volta; 18.º, Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), a 1 volta; 19.º, Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), a 1 volta; 20.º, Esteban Gutierrez (Haas VF-16/Ferrari), a 1 volta; 21.º, Esteban Ocon (Manor MRT05/Mercedes), a 1 volta; 22.º, Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), a 1 volta;

Classificações dos Mundiais, depois da prova japonesa:

PILOTOS – 1.º, Nico Rosberg, 313 pontos; 2.º, Lewis Hamilton, 280; 3.º, Daniel Ricciardo, 212; 4.º, Kimi Raikkonen, 170; 5.º, Max Verstappen, Sebastian Vettel, 165; 7.º, Valtteri Bottas, 81; 8.º, Sergio Perez, 80; 9.º, Nico Hulkenberg, 54; 10.º, Felipe Massa, 43; 11.º, Fernando Alonso, 42; 12.º, Carlos Sainz, 30; 13.º, Romain Grosjean, 28; 14.º, Daniil Kvyat, 25; 15.º, Jenson Button, 19, 16.º, Kevin Magnussen, 7; 17.º, Stoffel Vandoorne, Pascal Wehrlein, Jolyon Palmer, 1

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 593 pontos; 2.º, Infiniti Red Bull Racing, 385; 3.º, Scuderia Ferrari, 335; 4.º, Sahara Force Índia F1 Team, 134; 5.º, Williams Martini Racing, 124; 6.º, McLaren/Honda, 62; 7.º, Scuderia Toro Rosso, 47; 7; 8.º, Haas F1 Team, 28; 9.º, Renault Sport F1 Team, 8; 10.º, Manor Racing MRT, 1.

Próxima prova – GP dos Estados Unidos, no Circuito das Américas (Austin – Texas), dia 16 de Outubro