Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

GP da Austrália: Sebastian Vettel entra a vencer

Um erro estratégico da Mercedes, permitiu ao alemão alcançar a vitória na prova de abertura do Mundial de 2017

Pedro Roriz

Partilhar

Um erro estratégico da Mercedes, permitiu ao alemão Sebastian Vettel (Ferrari) alcançar a vitória na prova de abertura do Mundial de 2017.
O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) aproveitou o facto de largar da pole para assumir o comando, deixando para trás o piloto da Ferrari que, apesar de não ter efectuado uma boa partida, conseguiu manter o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) atrás de si.

E se o inglês conseguiu manter o alemão atrás de si, este nunca deixou de pressionar o seu adversário, que, desde cedo, começou a queixar-se do desgaste dos pneus, pelo que a equipa optou por chamá-lo, à 17.ª volta, para montar pneus macios.

Sem Hamilton à sua frente, Sebastian Vettel forçou o andamento e ganhou um avanço que acabou por ser decisivo para a sua vitória, uma vez que Lewis Hamilton saiu das boxes atrás do holandês Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer). Quando este parou para trocar de pneus, o piloto da Mercedes estava já a seis segundos do comandante, diferença de tempo que não mais conseguiu neutralizar, para impedir a 43.ª vitória de Sebastian Vettel.

Na estreia na Mercedes, Valtteri Bottas completou o pódio, à frente do seu compatriota Kimi Raikkonen (Ferrari), que passou de forma discreta pelo traçado australiano, e do holandês com a particularidade dos três terem terminado nas posições em que estavam no momento da largada.

O brasileiro Felipe Massa (Williams/Mercedes) foi sexto e o último que não perdeu uma volta para o vencedor, com os restantes lugares pontuáveis a serem divididos pelos pilotos da Force India (Sérgio Perez – 7.º e Esteban Ocon – 10.º) e da Toro Rosso (Carlos Sainz – 8.º e Daniil Kvyat – 9.º), com o espanhol Fernando Alonso (McLaren-Honda) a parecer, durante muito tempo capaz de segurar o 10.º lugar, mas a ser forçado a abandonar, a sete voltas do fim, quando, depois do motor Honda perder potência, de forma evidente, a suspensão ter decidido, em consequência de um desentendimento com Esteban Ocon.

De assinalar que os “rookies”, o italiano Antonio Giovinazzi (Sauber/Ferrari) e o belga Stoffel Vandoorne (McLaren/Honda) terem terminado a corrida, ainda, que fora dos lugares pontuáveis.

Classificação

1.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF70-H/Ferrari), 57 voltas (302,271 km), em 1.24’11,672” (125,408 km/h);
2.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), a 9,975”;
3.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), a 11,250”;
4.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 22,393”;
5.º, Max Verstappen (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 28,287”;
6.º, Felipe Massa (Williams FW40/Mercedes), 1’23,306”;
7.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta;
8.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR12/Renault), a 1volta;
9.º, Daniil Kvyat (Toro Rosso STR12/Renault), a 1volta;
10.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta;
11.º, Nico Hulkenberg (Renault RS17/Renault), a 1 volta;
12.º, Antonio Giovinazzi (Sauber C36/Ferrari), a 2 voltas;
13.º, Stoffel Vandoorne (McLaren MCL32/Honda), a 2 voltas

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova australiana:

Pilotos

1.º, Sebastian Vettel, 25 pontos;
2.º, Lewis Hamilton, 18;
3.º, Valtteri Bottas, 15;
4.º, Kimi Raikkonen, 12;
5.º, Max Verstappen, 10:
6.º, Felipe Massa, 8;
7.º, Sergio Perez, 6;
8.º, Carlos Sainz, 4;
9.º, Daniil Kvyat, 2;
10.º, Esteban Ocon, 1

Equipas
1.º, Scuderia Ferrari, 37 pontos;
2.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 33;
3.º, Red Bull Racing, 10;
4.º, Williams Martini Racing, 8;
5.º, Sahara Force India F1 Team, 7;
6.º, Scuderia Toro Rosso, 6

Próxima prova: Grande Prémio da China, dia 9 de Abril, no Shanghai International Circuit