Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Fórmula 1: domínio de Lewis Hamilton no Grande Prémio da China

Sebastian Vettel ficou em segundo numa competição que começou com a pista molhada

Pedro Roriz

Lewis Hamilton

ALBERT GEA/ Reuters

Partilhar

O inglês Lewis Hamilton (Mercedes) venceu o Grande Prémio (GP) da China e passou a partilhar o comando do “Mundial” com o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que foi segundo. Com isto deverão ser os dominadores do campeonato e inverter as posições da corrida inaugural.

A corrida de Xangai começou com a pista molhada e com todos os pilotos, com excepção do espanhol Carlos Sainz (Toro Rosso//Renault) e do inglês Jolyon Palmer (Renault) que largaram de “slicks”. Mas Lewis Hamilton não desperdiçou o facto de largar da “pole” para assumir o comando, à frente do alemão.

Só que, ainda, na primeira volta, o canadiano Lance Stroll (Willams/Mercedes), que largou de um prometedor nono lugar da grelha, viu a hipótese de um bom resultados esfumar-se, em consequência de um “toque” do mexicano Sérgio Perez (Force Índia/Mercedes), que colocou o Williams na escapatória e levou à activação do “safety car” virtual.

Nessa altura houve quem, como sucedeu com Sebastian Vettel tivesse aproveitado para trocar de pneus, porque o asfalto estava a secar, mas, logo a seguir, um despiste do italiano Antonio Giovinazzi (Sauber/Ferrari) levou à entrada em pista do “safety car” e os restantes aproveitaram para efectuar idêntica operação, o que frustrou as expectativas do alemão.

A partir daí, o inglês limitou-se a gerir a corrida, enquanto o alemão, que tinha caído para sexto, para recuperar até ao segundo lugar, o que lhe permite partilhar o comando do “Mundial”, com o inglês.

Autor de uma corrida notável, uma vez que largou de 17.º e já era sétimo no final da primeira volta, o holandês Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer) completou o pódio, depois de, nas derradeiras voltas, ter de resistir à “pressão” do seu colega de equipa, o australiano Daniel Ricciardo, que foi quarto à frente do finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), que passou a corrida a queixar-se de falta de potência do motor.

Prejudicado pelas intervenções do “safey car” e por ter perdido tempo para trocar de pneus, uma vez que teve de esperar que Lewis Hamilton o fizesse, o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) foi sexto.

Excelente sétimo lugar do espanhol Carlos Sainz, que não evitou uma saída de pista, logo na primeira volta, por ter arrancado de “slicks”, mas depois recuperou até à posição final, sendo o último dos classificados que não foi “dobrado”.

Nos restantes lugares pontuáveis classificaram-se o dinamarquês Kevin Magnussen (Haas/Ferrari), que deu os primeiros pontos do ano à equipa norte-americana e os dois pilotos da Force Índia, o mexicano Sérgio Perez e o francês Esteban Ocon.

Classificação – 1.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), 56 voltas (305,066 km), em 1.37’36,158” (187,535 km/h); 2.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 6,250”; 3.º, Max Verstappen (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 45,192”; 4.º, Daniel Ricciardo (Red Bull RB13/TAG Heuer), a 46,035”; 5.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF70-H/Ferrari), a 48,076”; 6.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), a 48.808”; 7.º, Carlos Sainz (Toro Rosso STR12/Renault), a 1’12,893”; 8.º, Kevin Magnussen (Haas VF-17/Ferrari), a 1 volta; 9.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta; 10.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1 volta; 11.º, Romain Grosjean (Haas VF-17/Ferrari), a 1 volta; 12.º, Nico Hulkenberg (Renault RS17/Renault), a 1 volta; 13.º, Jolyon Palmer (Renault RS17/Renault), a 1 volta; 14.º, Felipe Massa (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 15.º,Marcus Ericsson (Sauber C36/Ferrari), a 1 volta

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova chinesa:

PILOTOS – 1.º, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, 43 pontos; 3.º, Max Verstappen, 25: 4.º, Valtteri Bottas, 23; 5.º, Kimi Raikkonen, 22; 6.º, Daniel Ricciardo, 12; 7.º, Carlos Sainz, 10; 8.º, Felipe Massa, Sergio Perez, 8; 10.º, Kevin Magnussen, 4; 11.º, Daniil Kvyat, Esteban Ocon, 2

EQUIPAS – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 66 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 65; 3.º, Red Bull Racing, 37; 4.º, Scuderia Toro Rosso, 12; 5.º, Sahara Force India F1 Team, 10; 6.º, Williams Martini Racing, 8; 7.º, Haas, F1 Team, 4

Próxima prova – Grande Prémio do Bahrain, dia 16 de Abril, no Bahrain Internacional Circuit

Partilhar