Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Lewis Hamilton sagra-se tetracampeão da Fórmula 1

Apesar de não ter sido nono, o inglês Lewis Hamilton (Mercedes) garantiu a conquista do quarto título e juntou-se ao francês Alain Prost e ao alemão Sebastian Vettel no lote dos tetra-campeões

Pedro Roriz

Clive Mason/Getty Images

Partilhar

Um título conquistado de uma forma que o piloto não queria, mas com um resultado que foi consequência de um incidente de corrida, logo nas primeiras curvas.

Apesar de saber que era muito difícil impedir o seu adversário, que precisava de um quinto lugar, de conquistar o título, Sebastian Vettel (Ferrari) começou por fazer o que lhe era pedido ao garantir a “pole position”. Posição que, do ponto de vista teórico, lhe abria as portas para a vitória, que podia não chegar caso o piloto da Mercedes fosse quinto, o que não parecia impossível de suceder, face à maneira como as coisas se tinham passado nas corridas anteriores, onde Ferrari e Mercedes dominaram de forma clara.

Só que na primeira linha, ao lado do alemão, estava o holandês Max Verstappen (Red Bull), conhecido pela sua ousadia e pela forma determinada com que assume os riscos.

Ambos os pilotos da primeira linha arrancaram bem mas, à chegada à primeira curva, o holandês conseguiu, apesar de os carros terem tocado, assumir o comando, enquanto Lewis Hamilton, que partiu de terceiro, viu o “buraco” que podia aproveitar para ultrapassar Sebastian Vettel.

Mas novo “toque” aconteceu com o Ferrari a ficar com a asa dianteira danificada e o Mercedes com um furo no pneu traseiro direito, o que obrigou os dois pilotos a irem às “boxes” reparar os estragos.

Como consequência, Max Verstappen e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) ficaram nas duas primeiras posições, que mantiveram até ao final, com o finlandês a não ter capacidade para perseguir de perto o seu adversário, que foi ganhando segundos atrás de segundos.

Com os candidatos ao título relegados para o fundo do pelotão, ficou evidente que o título estava entregue, pois só uma “revolução” iria permitir a Sebastian Vettel chegar aos dois primeiros lugares, os únicos que lhe interessavam para adiar a decisão para o Brasil.

O alemão recuperou até ao quarto lugar, a mais de um minuto do vencedor, mas não pôde evitar que o inglês, que terminou em nono, recuperasse o ceptro perdido no ano passado para o alemão Nico Rosberg, seu companheiro de equipa.

O finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) completou o pódio, depois de, na primeira parte da prova, ter rodado atrás do francês Esteban Ocon (Force India) e aproveitado a paragem nas “boxes”, para a troca de pneus, para o ultrapassar.

Classificação – 1.º, Max Verstappen (Reb Bull RB13/TAG Heuer), 71 voltas, em 1.36’26,552”; 2.º, Valtteri Bottas (Mercedes W08/Mercedes), a 19,678”; 3.º, Kimi Raikkonen (Ferrari SF-70H/Ferrari), a 54,007”; 4.º, Sebastian Vettel (Ferrari SF-70H/Ferrari), a 1’10,078”; 5.º, Esteban Ocon (Force India VJM10/Mercedes), a 1volta; 6.º, Lance Stroll (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 7.º, Sergio Perez (Force India VJM10/Mercedes), a 1volta; 8.º, Kevin Magnussen (Hass VF-17/Ferrari), a 1 volta; 9.º, Lewis Hamilton (Mercedes W08/Mercedes), a 1 volta; 10.º, Fernando Alonso (McLaren MCL32/Honda), a 1 volta; 11.º, Felipe Massa (Williams FW40/Mercedes), a 1 volta; 12.º, Stoffel Vandoorne (McLaren/Honda), a 1volta; 13.º, Pierre Gasly (Toro Rosso STR12/Renault) a 1 volta; 14.º, Pascal Wehrlein (Sauber C36/Ferrari), a 2 voltas, 15.º, Romain Grosjean (Haas VF-17/Ferrari), a 2 voltas

Classificações dos “Mundiais”, depois da prova norte-americana:

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 333 pontos; 2.º, Sebastian Vettel, 277; 3.º, Valtteri Bottas, 262; 4.º, Daniel Ricciardo, 192; 5.º, Kimi Raikkonen, 178; 6.º, Max Verstappen, 148; 7.º, Sergio Perez, 92; 8.º, Esteban Ocon, 83; 9.º, Carlos Sainz, 54; 10.º, Lance Stroll, 40; 11.º, Felipe Massa, 36; 12.º, Nico Hulkenberg, 34; 13.º, Romain Grosjean, 28; 14.º, Kevin Magnussen, 19; 15.º, Stoffel Vandoorme, 13; 16.º, Fernando Alonso, 11; 17.º, Jolyon Palmer, 8; 18.º, Pascal Wehrlein, 5; 19.º, Daniil Kvyat, 5

EQUIPAS – 1.º, Mercedes AMG Petronas F1 Team, 595 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 455; 3.º, Red Bull Racing, 340; 4.º, Sahara Force India F1 Team, 175; 5.º, Williams Martini Racing, 76; 6.º, Scuderia Toro Rosso, 53; 7.º, Renault Sport F1 Team, 48; 8.º, Haas, F1 Team, 47; 9.º, McLaren/Honda, 24; 10.º, Sauber F1 Team, 5

Próxima prova – Grande Prémio do Brasil, dia 12 de Novembro, no Autódromo José Carlos Pace