Tribuna Expresso

Perfil

Futebol feminino

Nunca treinou uma equipa e não pediu o lugar, mas querem que ele seja o novo selecionador feminino de Inglaterra. Ele é Phil Neville

Já treinou uma equipa feminina? Não. Já treinou uma equipa masculina? Não. Mas a Federação Inglesa quer que Phil Neville seja o próximo líder da seleção feminina de futebol, o que não está a cair bem em Inglaterra

Expresso

Phil Neville foi adjunto do irmão, Gary Neville, em 2015/17, quando ambos foram para o Valência. Desde então, não esteve em mais clubes

Manuel Queimadelos Alonso/Getty

Partilhar

É quase o início de uma anedota: durante uma espécie de festa da Federação Inglesa, entre cocktails, um "muito conhecido comentador televisivo" sugeriu - quase em tom de gracejo, segundo o relato do jornal inglês "The Guardian" - a dirigentes que pusessem o ex-internacional Phil Neville - agora também ele comentador televisivo - a liderar a seleção feminina de futebol.

Em teoria, dá mesmo vontade de rir: Phil Neville nunca treinou nem uma equipa feminina, nem uma equipa masculina, tendo acumulado apenas funções como treinador-adjunto do irmão, Gary Neville, no Valência, em 2015/16, e como treinador-adjunto de David Moyes, no Manchester United, em 2013/14. E, como se sabe, nenhuma das duas experiências correu particularmente bem.

O que poderia ter sido apenas uma piada contada em festas deixou de ter graça quando a Federação Inglesa começou, efetivamente, a considerar o ex-jogador do Manchester United como o mais forte candidato ao lugar, segundo o mesmo "The Guardian" e segundo a BBC - que também notaram que Neville começou a seguir as contas de algumas jogadoras no Twitter.

Para já, ainda não houve anúncio oficial, mas já há quem questione a experiência de Neville para assumir o cargo, especialmente numa altura delicada para a modalidade no país. É que o selecionador anterior, Mark Sampson, foi afastado por "comportamentos inapropriados", depois de ter sido acusado de racismo por parte de uma jogadora.

Antes, no Mundial-2015 e no Euro-2017, Inglaterra chegou às meias-finais de ambas as provas, pelo que a fasquia para o novo selecionador estará muito elevada no que diz respeito ao Mundial-2019.

Para já, a selecionadora interina, desde setembro de 2017, é Mo Marley, que parece não ir manter o lugar, segundo os jornais ingleses. As outras hipóteses para o cargo eram Nick Cushing, treinador da equipa feminina do Manchester City, e Laura Harvey, que orienta a equipa feminina dos Utah Royals, nos EUA, mas nenhuma delas teve seguimento por parte da Federação, de acordo com os jornais ingleses.

Um dos candidatos mais fortes era John Herdman, selecionador feminino do Canadá, mas a Federação Canadiana decidiu oferecer a Herdman a liderança da seleção masculina do país.