Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Hollywood? Não, a vida real: como escapar à polícia fingindo uma lesão. Por Enner Valencia

Quito, no Equador, assistiu na última madrugada a uma das mais inusitadas tentativas de escapar a uma detenção. O protagonista deste filme chama-se Enner Valencia, é jogador do Everton e nos últimos quatro meses não pagou a pensão de alimentos à filha. A polícia apareceu em pleno jogo e, alegadamente, o avançado simulou uma lesão para fugir

Lídia Paralta Gomes

Comentários

Depois de se atirar para a piscina, Enner Valencia simulou uma lesão grave para escapar à polícia

JUAN CEVALLOS/Getty

Partilhar

Há formas e mais formas de escapar à polícia. Quem viu uns filmes sabe que há a porta das traseiras, a viela mal iluminada, a correria desenfreada ou, na versão colarinho branco, aquele cheque que se passa por baixo da mesa.

Felizmente a realidade é sempre melhor que a ficção e há quem continue a inovar na hora de escapar às obrigações. E Enner Valencia, jogador do Everton e internacional equatoriano, escreveu na última madrugada mais um belo capítulo do livro das melhores escapadas da história.

Tudo aconteceu em Quito, capital do Equador. A seleção local disputava um encontro das eliminatórias para o Mundial de 2018, frente ao Chile, quando Valencia caiu no chão em visíveis dificuldades. Os 2850 metros de altitude de Quito, pensaram uns. Lesão grave, pensaram outros. Provavelmente, nenhuma das opções estava correta.

Com uma ordem de detenção por atrasos de quatro meses no pagamento da pensão de alimentos de uma das filhas, no valor de quase 18 mil euros, o avançado terá, de acordo com a imprensa local, simulado problemas respiratórios para fugir à polícia. Esta encontrava-se junto ao relvado do Estádio Atahualpa, pronta para, a qualquer momento, levar Valencia para a esquadra.

O plano inicialmente nem correu mal: levado de maca para a ambulância e com uma máscara de oxigênio que tornava toda aquela marosca aparentemente real, Valencia esteve quase, quase a escapar, mas os agentes, ainda que surpreendidos, acabaram por seguir o jogador até a uma clínica.

Abordado antes do jogo

As dívidas de Enner Valencia foram conhecidas na última quarta-feira, depois do advogado da mãe da filha ter aparecido com a polícia em pleno treino da seleção do Equador com uma ordem de detenção. A não colaboração de alguns membros da autoridade na hora de cumprir a lei - ser futebolista tem os seus benefícios - terão permitido ao atacante escapar.

Mas no dia do jogo já não havia por onde fugir. Antes do início da partida, vários polícias esperavam pelo autocarro da seleção, com Valencia a iludir os agentes com a ajuda dos colegas. E no relvado, vendo-se encurralado, terá optado por fingir uma má-disposição que enganou muito boa gente. Depois do futebol, o equatoriano bem que pode pensar em dedicar-se a uma carreira no teatro.

De acordo com o representante do jogador, Gonzalo Vargas, tudo acabou resolvido, com a ordem de detenção a ser revogada. Depois do golpe de teatro, Valencia lá abriu os cordões à bolsa.

Ah, não que isso não seja importante, mas o Equador venceu por 3-0.