Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Avião indicou “problema elétrico” antes de cair em zona montanhosa na Colômbia e causar 75 mortos

“Há imensa gente a chorar na nossa cidade, nunca imaginaríamos que isto acontecesse. O Chapecoense é o maior motivo de alegria aqui, afirma o vice-presidente Ivan Tozzo. Equipa de futebol do clube brasileiro seguia a bordo do aparelho que caiu na Colômbia

Alexandre Costa

Comentários

MATT VARLEY

Partilhar

As autoridades colombianas comfirmaram um sexto sobrevivente do voo charter que caiu numa zona montanhosa, quando levava a bordo 81 pessoas, entre as quais a equipa de futebol brasileira Chapecoense,

O defesa central Helio Zampier Neto também foi resgatado com vida, assim como os guarda-redes Marcos Danilo Padilha, de 31 anos, Jackson Follmann, de 24 anos, e o lateral Alan Ruschel, de 27 anos, o jornalista Rafael Henzel e um membro da tripulação.

Uma sétima pessoa fora resgatada com vida, mas faleceu já no hospital.

O aparelho Avro RJ85 da companhia boliviana Lamia – fabricado por uma empresa pertencente à britânica BAE Systems – despenhou-se numa zona montanhosa em Cerro Gordon, nos arredores da cidade colombiana de La Union, às 22h locais (3h em Lisboa).

O voo 2933 saíra da Bolívia e desapareceu do radar quando se encontrava a 15,500 pés de altitude, a cerca de 30 quilómetros de Medillin, o seu destino final, que se situa a 2100 metros de altitude.

O avião caiu sem explodir. As más condições climatéricas dificultaram as operações de resgate, numa zona montanhosa apenas acessível por meios terrestres.

“Há imensa gente a chorar na nossa cidade, nunca imaginaríamos que isto acontecesse. O Chapecoense é o maior motivo de alegria aqui, reagiu esta manhã o vice-presidente do clune Ivan Tozzo.

O Chapecoense, equipa da cidade de Chapéco, do estado de Santa Catarina, tinha subido à I Divisão do futebol brasileiro há apenas dois anos. Viajava para Medellín, local do jogo da primeira mão da Taça Sul-Americana de futebol.

“Que Deus acompanhe os nossos atletas, representantes oficiais, jornalistas e convidados que viajavam com a nossa delegação”, refere uma nota do clube colocada na sua página no Facebook.