Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Chapecoense. O ‘Verdão do Oeste’ vivia melhor época de sempre

A tragédia que atingiu a equipa do Estado de Santa Catarina é equiparada às que aconteceram com clube míticos como o Torino, no acidente de Superga, Itália, em 1949, ou o Manchester United, em 1958

Lusa

MÁRCIO CUNHA / EPA

Partilhar

A Chapecoense, clube do estado de Santa Catarina, no Brasil, com menos de meio século de existência, é um dos fenómenos recentes do futebol brasileiro, com a chegada ao primeiro escalão há três anos.

O clube, conhecido como 'Chape' ou 'Verdão do Oeste', foi esta madugada abalado pela tragédia, com a queda do avião em que seguia a equipa para disputar, na Colômbia, a primeira mão da final da Taça sul-americana, com o Atlético Nacional, levando à morte 76 pessoas.

Do grupo que viajava sobreviveram cinco pessoas, entre as quais o guarda-redes Marcos Danilo Padilha, de 31 anos, o guarda-redes suplente Jackson Follmann, de 24 anos, e o lateral Alan Ruschel, de 27 anos.

A tragédia é equiparada às que aconteceram com clube míticos como o Torino, no acidente de Superga, Itália, em 1949, ou Manchester United, em 1958, embora a história conte alguns acidentes com clubes de futebol.

Pese embora a sua importância no estado de Santa Catarina, na Chapecoense as luzes da ribalta acenderam-se na comemoração dos seus 40 anos, em 2014, quando subiu pela primeira vez ao principal escalão do campeonato brasileiro.

Esta época, com um jogo por disputar, a equipa, que tem o guarda-redes Marcelo Boeck, ex-Sporting, no seu plantel, está numa tranquila 9ª posição, depois de nas anteriores épocas ter sido 14.º e 15.º classificado entre 20 equipas.

Esta foi a melhor prestação da 'Chape' no futebol brasileiro, num momento que iria disputar a sua primeira final internacional na Taça sul-americana, competição em que teve o seu primeiro jogo em 2013.

Também apelidado de 'Furacão do Oeste', o clube conseguiu este ano ter um plantel que misturava experiência de jogadores mais velhos, como Boeck, Nivaldo, Neto ou Filipe Machado, e mais novos, numa média de idades de 26 anos.

Na formação santa-catarinense, Boeck é bem conhecido dos portugueses, pelas passagens por Marítimo e Sporting, bem como o treinador Caio Júnior, de 51 anos, que foi jogador do Belenenses, do Estrela da Amadora e do Vitória de Guimarães.