Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Colômbia corrige balanço de acidente: 71 mortos e seis feridos

Balanço inicial considerava que tinham embarcado no avião as 81 pessoas previstas. Confirmou-se posteriormente que quatro delas não partiram para Medellín

MAFALDA GANHÃO

Heuler Andrey

Partilhar

Foram encerradas na Colômbia as buscas após o acidente com o avião que transportava a a equipa brasileira do Chapecoense. Depois de inicialmente as autoridades terem referido 75 mortos, o diretor da Unidade Nacional para Gestão de Risco e Desastres, Carlos Iván Márquez Pérez, atualizou o balanço: 71 vítimas mortais e seis feridos.

O total foi corrigido depois de ter sido possível confirmar que, apesar de estarem para embarcar no avião 81 pessoas, quatro delas não partiram para Medellín.

Foi também corrigido o número efetivo de corpos resgatados, já que durante a tarde chegou a ser avançado um total de 72.


  • A certeza errónea de que nada é mais natural do que um dia seguir-se a outro

    Futebol internacional

    A morte aconteceu-lhes a 30 quilómetros do destino, na Colômbia: 75 morreram, seis sobreviveram (na verdade foram sete, mas um não resistiu aos ferimentos depois de resgatado). Foram 75 tragédias e seis milagres naquele avião que caiu. Quase todo o Chapecoense, equipa de cidade influenciada por índios e italianos e exemplo de rara organização no futebol brasileiro, desapareceu ali. Minutos antes, os jogadores publicaram um vídeo: alguém faz uma “selfie”, a maioria sorri. Estão todos tranquilos. É aquela certeza errónea que todos temos de que nada é mais natural do que um dia seguir-se a outro