Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Final da Taça Sul-Americana de futebol suspensa após queda de avião com equipa brasileira

Equipa brasileira Chapecoense ia disputar, esta quarta-feira, com os colombianos do Atlético Nacional, a primeira mão da final da competição. Um dos seis sobreviventes da queda do aparelho quando se dirigia para Madellin é o futebolista brasileiro Alan Ruschel, lateral-esquerdo de 27 anos

Lusa

Imagem de arquivo de jogadores da equipa brasileira Chapecoense, recolhida a 23 de novembro, após um jogo com o San Lorenzo

PAULO WHITAKER / Reuters

Partilhar

A Confederação Sul-Americana de Futebol decidiu suspender todos jogos que tutela depois da queda, na Colômbia, do avião em que viajava a equipa brasileira Chapecoense, que ia disputar a final da Taça Sul-Americana.

A autoridade máxima do futebol sul-americano indica, num comunicado, que "até novo aviso" ficam suspensas todas as suas atividades e que o presidente da confederação, Alejandro Domínguez, está a caminho de Medellin, cidade para onde se dirigia o avião, para acompanhar a situação.

A equipa brasileira ia disputar, esta quarta-feira, com os colombianos do Atlético Nacional, a primeira mão da final da Taça Sul-Americana de futebol.

O avião levava 81 pessoas a bordo e há pelo menos seis sobreviventes, segundo as autoridades colombianas.

A agência de notícias EFE constatou num hospital da localidade de La Ceja, para onde estão a ser transportados os feridos, que um dos sobreviventes é o futebolista brasileiro Alan Ruschel, lateral-esquerdo de 27 anos.

O clube Atlético Nacional já lamentou o acidente, através do Twitter: "O Nacional lamenta profundamente e solidariza-se com o @chapecoensereal".

O avião despenhou-se quando se dirigia para Madellin "em Cerro El Gordo, nas proximidades do município de La Unión, Antioquia", numa zona montanhosa, com nove tripulantes e 72 passageiros a bordo, segundo a autoridades da aviação civil da Colômbia.

As autoridades colombianas dizem que há pelo menos seis sobreviventes.

O aeroporto de Medellin, num comunicado, refere que o avião, com matrícula da Bolívia, "declarou-se em emergência" às 22h locais (3h em Lisboa) "por falhas técnicas", segundo aquilo que transmitiu à torre de controlo.

"A polícia está já no local do acidente, ao qual apenas se pode aceder por via terrestre", havendo "baixa visibilidade" por causa das condições meteorológicas, diz a mesma nota.

O avião tinha saído do aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde aparentemente tinha feito uma escala técnica.