Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Uma bola, uma hemorragia e duas cabeças (muito) duras

Gary Cahill e Ryan Mason bateram cabeça com cabeça, este domingo, na vitória do Chelsea sobre o Hull City (2-0), e o jogador da equipa de Marco Silva fraturou o crânio

Filipa Bulha Pereira

Gary Cahill e Ryan Mason: duas cabeças duras

ADRIAN DENNIS

Partilhar

Há muitas razões para se dizer que o 13 é o número do azar e esta é apenas mais uma. Aos 13 minutos do Chelsea-Hull City, domingo, num embate contra Gary Cahill, do Chelsea, Ryan Mason, do Hull City, fraturou o crânio e sofreu uma hemorragia cerebral.

O jogo esteve parado quase 10 minutos devido ao incidente e Mason saiu de campo numa maca, com uma máscara de oxigénio e um colar cervical. E com muitos aplausos.

O comunicado divulgado pelo Hull City informa que Mason foi operado de urgência e que está "estável". Espera-se que o jogador "permaneça no hospital nos próximos dias".

O clube incluiu ainda uma nota de agradecimento no comunicado:"Todos no clube gostaríamos de agradecer os excelentes e rápidos cuidados prestados ao Ryan". Esta nota destina-se, afirmam, tanto ao departamento de acidente e emergência, como à unidade de neurocirurgia do St. Mary Hospital (em Londres), onde o jogador se encontra.

O médio inglês de 25 anos tem recebido muitas mensagens de apoio nas redes sociais, após o acidente que podia ter-lhe roubado a vida (basta ver os vídeos que circulam na internet para perceber a violência do embate... atenção aos mais sensíveis!).

Desde clubes como o Arsenal, Tottenham, ou mesmo o Sporting, a jogadores como Gareth Bale ou Héctor Bellerín, vários desejaram rápidas melhoras a Mason, provando que, em alturas como esta, quaisquer rivalidades são postas de lado.