Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Duas equipas brasileiras tentaram transmitir jogo pelo YouTube mas a federação não deixou. Resultado: não houve jogo

Atlético-PR e Coritiba decidiram transmitir jogo de forma independente; federação proibiu o início da partida

Evandro Furoni

SAMANTHA SIN

Partilhar

Um jogo no Brasil foi canceladp no último domingo após as equipas tentarem transmitir o jogo pelo Facebook e Youtube. O Atlético-PR e o Coritiba iam enfrentar-se no Campeonato Paranaense, mas minutos antes do início da partida, a federação local proibiu o início do jogo caso ele fosse transmitido online.

O impasse tem como motivo a briga das duas equipas com a Federação Paranaense de Futebol. Os clubes, os dois maiores do Estado do Paraná, não aceitaram o contrato feito pela federação com a TV Globo, responsável pela transmissão do campeonato, alegando que os valores eram muito baixos. Por causa disso, as duas equipas não teriam os seus jogos transmitidos pela televisão, mas decidiram contratar uma empresa independente para transmitir o duelo entre elas.

“Atlético-PR e Coritiba não venderam seu direitos (de transmissão) por essa esmola que a Globo quis pagar e hoje estamos fazendo transmissão gratuita pelo Facebook e Youtube. A federação, de forma absurda, não quer que o jogo comece se não pararmos a transmissão. Os dois clubes não venderam direitos. Resolvemos fazer transmissão independente e gratuita. Nossa produtora não é ligada a nenhuma TV. Então, não vai ter jogo”, disse o diretor de marketing Atlético-PR, Mauro Holzzman.

Minutos antes do início do jogo, o árbitro informou as duas equipas que não começaria o jogo enquanto os funcionários da empresa independente estivessem no relvado. Após um atraso de 45 minutos, os jogadores das duas equipas foram até o centro do campo, saudaram os adeptos e voltaram aos balneários. Após uma hora de atraso, a partida foi cancelada. Ainda não há data definida para o jogo.

O argumento oficial da Federação Paranaense de Futebol é que os profissionais da empresa contratada para a transmissão do jogo não foram credenciados para estarem no estádio. De acordo com a rádio local Banda B, o quarto árbitro admitiu aos jogadores que o cancelamento da partida foi uma ordem da federação pelo facto de a empresa não ser a detentora dos direitos de transmissão do campeonato.

Pela lei brasileira, cada equipa é responsável por negociar os próprios direitos de transmissão de um jogo, mas a empresa é obrigada a ter a autorização das duas equipas que jogarão.

Nota: A SIC Radical transmite jogos do Paulistão, Cariocão e Brasileirão