Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Os adeptos imitaram sons de macacos, Everton saiu de campo em lágrimas (vídeo)

Aconteceu na Sérvia, num jogo entre o Partizan e o FK Rad e é apenas outro exemplo de racismo nos estádios de futebol

Evandro Furoni

Partilhar

O médio brasileiro Everton Luiz deixou o campo e a sua equipa, o Partizan Belgrado, da Sérvia, em lágrimas, após ser vítima de insultos racistas numa partida do campeonato sérvio no último domingo . O jogador revoltou-se durante o jogo contra o FK Rad Belgrado quando os adeptos do clube rival começaram a imitar sons de macaco de cada vez que ele tinha a bola nos pés.

No final do jogo, vencido por 1 a 0 pelo Partizan, Luiz foi em direção aos adeptos do Rad e fez um gesto obsceno, gerando grande confusão. A polícia foi obrigada a agir para conter o conflito. O médio deixou o campo a chorar.

“Não consegui conter as lágrimas porque ouvi insultos racistas durante os 90 minutos de jogo”, disse Everton à imprensa local. “Fiquei chateado com a atitude dos jogadores rivais, que ao invés de condenarem a situação, apoiaram a atitude”, completou o brasileiro.

Não é a primeira vez que um jogador responde a insultos racistas dos adeptos. Em 2013, o médio ganês Kevin-Prince Boateng deixou o campo quando jogava no AC Milan após ouvir insultos racistas em uma partida contra o Pro Patria, equipa da quarta divisão do Campeonato Italiano.

No mesmo ano, o avançado Mario Balotelli ameaçou tomar a mesma atitude enquanto jogava no mesmo AC Milan após adeptos da Roma fazerem sons de macaco de cada vez que ele tocava na bola. Em 2014, o mesmo Balotelli foi novamente alvo de racismo, desta vez por adeptos do Nápoles. O avançado não resistiu e chorou dentro de campo.