Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Ele quis mostrar que a bola não tinha ultrapassado a linha. Mas meteu-a dentro da baliza

Lance caricato no Feyenoord-PSV deu a vitória à equipa da casa. Distração do guarda-redes do Eindhoven foi "apanhada" pela Tecnologia da Linha de golo

Francisco Perez

Jeroen Zoet é internacional holandês e tem 26 anos

Dean Mouhtaropoulos/Getty

Partilhar

O Feyenoord consolidou este domingo a liderança do campeonato holandês ao vencer o PSV por 2-1, mas o jogo poderia ter terminado com um empate, não fosse um erro caricato do guarda-redes da equipa de Eindhoven.

Depois de Jens Toornstra dar vantagem à equipa da casa logo aos 9 minutos, o PSV empatou no início da segunda parte por intermédio de Gastón Pereiro.

Com o jogo empatado, aos 82’, surgiu o momento que decidiu a partida: canto cobrado na esquerda para o coração da área, Nicolas Isimat-Mirin ainda corta a bola, mas van der Heijden ganha o duelo com o adversário e cabeceia para defesa de Jeroen Zoet.

O guardião do PSV parou a bola em cima da linha de golo, no entanto, o Feyenoord celebrou o 2-1. O que sucedeu? Zoet, num momento, no mínimo, estranho para um internacional de 26 anos, puxou o esférico para junto do seu peito enquanto se erguia e, nesse instante, a bola entrou na baliza.

O árbitro Bas Nijhuis recebeu a indicação no relógio, através da Tecnologia da Linha de golo, e não havia volta a dar: golo.

O resultado não mais se alterou, com os três pontos a pertencerem ao Feyenoord, que segue em primeiro lugar da liga holandesa, com mais cinco pontos do que o Ajax.

No final do encontro, Zoet lamentou o erro. "A única coisa em que pensei foi em tirar a bola da linha. O que aconteceu depois, não sei, aconteceu num 'flash'", explicou.

"Isto é completamente ridículo, a linha de golo fez a diferença e as coisas podiam ter tido outro resultado. O árbitro decidiu pelo relógio. Se não tivesse acontecido, penso que ele não teria validado o golo". É o futebol do século XXI.