Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Jogador da Chapecoense queixa-se da pouca utilização no Twitter e acaba despedido

Alejandro Martinuccio desabafou nas redes sociais, porque nos últimos 12 jogos só alinhou em quatro... e foi despedido. Clube criticou "falta de compromisso" do avançado

Francisco Perez

Alejandro Martinuccio (à direita) quando jogava no Curitiba

Heuler Andrey/Getty

Partilhar

Alejandro Martinuccio foi despedido da Chapecoense esta quinta-feira, por se queixar no Twitter da fraca utilização no clube brasileiro.

O avançado argentino não esteve envolvido no acidente de avião em novembro do ano passado que vitimou grande parte dos colegas, por não ter sido convocado para o encontro diante do Atlético Nacional, para a Taça Sul-americana.

O argentino chegou à equipa em 2016, proveniente do Fluminense, e nesse ano disputou dez encontros, tendo apontado quatro golos. Esta temporada, não vinha sendo utilizado com regularidade, o que causou insatisfação com o jogador de 29 anos.

Depois do departamento médico da Chapecoense o ter dado como "inapto", Martinuccio escreveu no Twitter que não tinha nenhuma limitação, situação que não agradou aos responsáveis do emblema brasileiro.

"Esse tipo de comportamento não cabe na reconstrução da Chapecoense. Esse é o meu recado. Ele deveria ter vindo ao balneário e abraçado os companheiros. Hoje ele mostrou que não está envolvido no nosso projeto", declarou João Carlos Maringá, diretor de futebol do clube.

A postura do argentino levou à rescisão de contrato com a formação de Santa Catarina.

"Conversámos com o Martinuccio e tomámos a decisão de encerrar o ciclo dele na Chapecoense. A decisão foi do clube. Foi o primeiro atleta com quem conversei quando cheguei à Chapecoense. O episódio de ontem teve um peso grande. Na Chapecoense o coletivo está acima de qualquer coisa", referiu Rui Costa, um dos dirigentes.

O jogador de 29 anos, entretanto, deixou uma mensagem de despedida nas redes sociais, onde não mostrou arrependimento.

Instagram