Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Duas agressões depois, árbitros entram em greve e cancelam jornada no México

Juízes pedem punições mais duras aos jogadores após sofrerem duas agressões na mesma ronda da Taça

Evandro Furoni

Rocio Vasquez/AFP/Getty

Partilhar

Portugal já teve 32 agressões a árbitros este ano. No México, bastaram duas para não haver mais jogos.

Depois de discordarem com as punições consideradas brandas de mais a dois ataques protagonizados por jogadores, os árbitros mexicanos entraram em greve e cancelaram a jornada deste fim de semana. A atitude foi tomada após duas agressões na mesma jornada da Taça do México.

O argentino Henrique Triverio, da equipa do Toluca, empurrou o árbitro Miguel Ángel Flores.

E o paraguaio Pablo Aguilar, atleta do América, encostou a cabeça a Fernando Hernández.

A Federação decidiu suspender Triverio com oito partidas e Aguilar com dez.

A entidade representante dos árbitros achou as punições insuficientes e decidiu entrar em greve no último dia 10, horas antes do jogo entre Veracruz e Puebla, a contar para a décima jornada do campeonato mexicano.

“A Associação Mexicana de Árbitros não se fará representar na jornada 10 da Liga MX, a lutar por respeito dentro do campo de jogo”, anunciou a associação dos árbitro pelo Twitter.

De acordo com o jornal mexicano “Récord”, o árbitro Luis Enrique Santander abandonou o estádio minutos antes do início do jogo.

O pior caso é o de Aguilar. A associação quer que ele seja suspenso por 12 meses e o paraguaio corre o risco de ser dispensado do América.

Uma reunião realizada no último domingo determinou que a federação mexicana acatará o apelo dos árbitros e irá rever as provas das agressões para verificar se as punições foram brandas de mais.

Apesar de nenhum anúncio oficial ainda ter sido feito, a expectativa é que a greve acabe esta segunda-feira.