Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Os mind games não ajudam, mas lá que eles existem, existem

Esta noite há Chelsea-Manchester United para a Taça de Inglaterra. É mais um capítulo na rivalidade entre Conte e Mourinho. No último confronto, a vitória sorriu ao italiano, por esclarecedores 4-0

Francisco Perez

GLYN KIRK/Getty

Partilhar

O Chelsea recebe esta segunda-feira o Manchester United em jogo a contar para os quartos-de-final da Taça de Inglaterra. Depois da goleada sofrida por 4-0 para o campeonato, em outubro do ano passado, os "red devils" querem manter-se na competição para defender o título conquistado na época passada. Mas não será fácil.

Sem poder contar com Rooney, Rashford e Martial por lesão, e Ibrahimovic por castigo, a formação de Old Trafford não tem avançados disponíveis para o encontro.

Por isso, mesmo não perdendo há dez jogos, José Mourinho defendeu que a partida não vem na melhor altura para o clube, depois do embate com o Rostov para a Liga Europa.

“É um jogo que surge no momento errado para nós [o United joga com o Rostov esta quinta-feira], porque a Liga Europa é uma prova que nos pode dar uma vaga para a Champions e a Taça não, pelo que é uma prova menos importante”.

Ou seja, para Mourinho a Taça de Inglaterra é “uma prova menos importante”? Mind game #1. Mas há mais.

Na época anterior, o Chelsea terminou o campeonato em 10º, não se tendo qualificado para as provas europeias. Em fevereiro, Antonio Conte afirmou que os londrinos estavam nessa situação por culpa da “má temporada do ano passado” – uma temporada que começou com Mourinho ao leme.

Perante estas declarações, o técnico português respondeu com ironia. “Sei que ele [Conte] disse há umas semanas que não era culpa sua de não estarem nas competições europeias. É culpa minha culpa e dos jogadores. Mas a realidade é que eles têm, agora, em mãos uma situação onde têm tempo para trabalhar, tempo para descansar, tempo para relaxar, tempo para viajar, tempo para ir à América e aproveitá-la durante uns dias".

Continuemos.

Mou: “Escolheram um estilo de jogosemelhantes ao que eu tinha no meu Chelsea”

Os blues lideram o campeonato, com mais dez pontos que o segundo classificado, a 11 jornadas do final. José Mourinho reconheceu mérito à época do adversário, comparando-o com… o seu Chelsea. “Não quero dizer que eles não merecem o crédito por estarem em primeiro. Eles escolheram um estilo de jogo que se adapta bem à qualidade dos seus jogadores, defendem muito, e bem, e são letais nos contra-ataques, semelhantes aos que eu tinha no meu Chelsea. A única diferença é que usam cinco defesas e eu usava quatro. Estão a jogar muito bem e por isso é que vão ser campeões facilmente.”

Desde a derrota com os londrinos, o United segue imbatível no campeonato e apenas perdeu por duas vezes em todas as competições. “Eles [jogadores] estão muito bem e, se pudéssemos mudar três ou quatro empates em casa para a Premier League por vitórias, significaria que teríamos mais seis ou oito pontos e estaríamos numa excelente posição”.

Conte: “Os mind games não nos ajudam a vencer jogos”

Do lado dos blues, Antonio Conte deixou elogios ao rival, esperando deixar a sua marca na história do clube, tal como José Mourinho. “Ele é um dos melhores do mundo. Escreveu uma página bonita na história do Chelsea. É importante não esquecermos isto, tenho um imenso respeito por ele e pela sua mentalidade vencedora. Espero um dia poder repetir as suas vitórias.”

Sem perder há dez jogos, a discussão do estilo de jogo preconizado por Conte continua a levantar discussões, mas o treinador italiano explicou que os contragolpes não são o seu objetivo nos treinos. “Eu nunca treinei ou preparei contra-ataques. É uma opção, mas apenas se tiver esse tipo de jogadores. Para mim é importante preparar os outros aspetos. Todos sabemos que, durante os encontros, há diferentes situações, e temos de estar preparados para jogar em diferentes espaços no campo. Se tens uma partida em que passas 70 minutos na metade do campo adversário, tens de saber o que estás a fazer, caso contrário terás problemas.”

Na memória dos adeptos está a goleada de 4-0 imposta ao Manchester United. Contudo, o italiano não espera um desafio fácil. “Em Outubro, antes do jogo, tinha a certeza de que íamos enfrentar uma grande equipa. O mesmo acontece agora. Penso que o Manchester United, tal como o City, tem o melhor plantel na liga. Vai ser um jogo extremamente duro, tanto para nós como para eles.”

Puxando atrás o filme, no final do encontro de outubro José Mourinho criticou os festejos intensos do italiano, aquando do último golo do Chelsea. Conte garantiu não ter nada que esclarecer com o português sobre esse aspeto. “Penso que mostrei no meu período no Chelsea, mas não apenas aqui, que vivo o jogo intensamente. Por vezes quero partilhar o meu entusiasmo com os meus jogadores, com o meu staff e com os adeptos. É normal.”

O técnico foi mais longe, esclarecendo que não pretende entrar numa “guerra de palavras” com Mourinho. “O mais importante é o que acontece no campo. Os mind games não nos ajudam a vencer jogos.”