Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Kylian Mbappé: Comparam-no a Henry, mas no quarto dele só cabiam posters de Cristiano

Jovem francês tem estado em destaque no Mónaco. Aos 18 anos, já superou as marcas de Thiery Henry. Foi convocado por Didier Deschamps, podendo fazer a sua estreia pelos “bleus” brevemente

Francisco Perez

D.R.

Partilhar

Fez recentemente 18 anos, mas já todos o levam a sério. Kylian Mbappé Lottin é o avançado sensação da Liga francesa e uma das maiores promessas do futebol mundial. As suas últimas exibições ao serviço do Mónaco já lhe valeram a chamada à seleção gaulesa e, neste momento, não deixam dúvidas nos adeptos de que será (mais) um enorme talento desenvolvido naquele país.

Natural de Bondy, uma comunidade situada a dez quilómetros de Paris, Mbappé nasceu a 20 de dezembro de 1998, seis meses depois da França vencer o Mundial.

Esta é a sua família.

Wilfried, pai do jovem, é camaronês e é treinador no AS Bondy, onde Kylian iniciou a formação. Fayza, a mãe, jogou andebol profissionalmente. Jirès Kembo-Ekoko nasceu no Zaire, e é sobrinho de Wilfried; quando os pais o enviaram para Bondy, tornou-se um dos primeiros ídolos de Mbappé.

Em 2011, foi escolhido pela Federação Francesa de Futebol para ir para Clairefontaine, um centro de excelência em Paris, por onde passaram nomes como Thierry Henry, Nicolas Anelka, Blaise Matuidi, Hatem Ben Arfa e William Gallas.

No final da formação, quando questionado sobre as suas ambições, falou no Real Madrid e deixou uma declaração curiosa: “É melhor ambicionar a Lua. Assim, se tu falhares, atinges as nuvens”.

Já sob o olhar de alguns dos maiores clubes europeus, Mbappé decidiu rumar ao Mónaco, para concluir o seu crescimento, tendo à data 15 anos.

O seu percurso foi-se desenhado com normalidade, até que a chegada de Leonardo Jardim ao Principado em 2014-15 precipitou a sua estreia pela equipa principal contra o Caen. Tinha 16 anos e 11 meses e superou o recorde de Thierry Henry, que já passava dos 17 quando debutou.

FRANCK FIFE/Getty

Com 1,78 m, desde cedo compensou a falta de robustez física com a velocidade e uma técnica invejáveis. No ano seguinte passou a jogar com maior regularidade, ajudando o clube em 14 encontros, celebrando o seu primeiro golo diante do Troyes. Com isso, bateu mais um recorde: em fevereiro de 2016, tornou-se, aos 17 anos e dois meses, o jogador mais jovem da história dos monegascos a marcar para o campeonato, superando a marca de – adivinhou – Thierry Henry.

Em julho de 2016, foi um dos elementos-chave para a conquista do Europeu de Sub-19 realizado na Alemanha, onde foi o segundo melhor marcador da prova, com cinco golos, menos um do que o seu compatriota Jean-Kévin Augustin, atualmente no Paris Saint-Germain. As boas prestações com as camisolas francesas valeram-lhe a assinatura do seu primeiro contrato profissional, válido até junho de 2019 e, pouco tempo depois, o Mónaco rejeitou uma proposta de 45 milhões de euros do Manchester City.

“Pensámos que ele seria um elemento regular do plantel e que lhe seriam dadas oportunidades. Foi o que eles prometeram. Não esperávamos que ele fosse titular, mas não imaginávamos que ele fosse a sexta opção. Ele podia ter ido para um grande clube para ser a sexta escolha”, disse o pai, Wilfried Mbappé.

O vínculo tê-lo-á deixado (ainda mais) motivado, já que esta temporada bateu mais recordes.

A aposta e a influência de Leonardo Jardim

A época está a correr de feição ao treinador português que está envolvido em todas as competições. Lidera a Liga francesa com mais três pontos que o tetracampeão Paris Saint-Germain, tem o melhor ataque na Europa, com 87 golos; e superiorizou-se ao Manchester City nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, onde Mbappé se tornou o jogador mais jovem de sempre a marcar em duas mãos, com 18 anos e 85 dias. Para trás ficou o registo de Nicolas Anelka que tinha 21 anos.

Além disso, o Mónaco de Jardim ainda vai disputar com o Lille a presença nas meias-finais da Taça de França e com os parisienses a Taça da Liga.

Está em todas. Mbappé tem estado em quase todas.

Leonardo Jardim lançou Mbappé na equipa principal do AS Monaco

Leonardo Jardim lançou Mbappé na equipa principal do AS Monaco

VALERY HACHE/Getty

O jogador tem sido um peso importante na manobra ofensiva da formação, onde em 48 partidas, esteve presente em 32.

Dos 129 golos apontados esta temporada no total das competições, o gaulês é responsável por 19, sendo o segundo melhor marcador da equipa, atrás de Radamel Falcao, que tem 24.

Mbappé foi também o mais jovem de sempre a marcar dez golos para o campeonato em 30 anos – atualmente conta com 12. E no mês passado, na receção ao Metz, Mbappé apontou o seu segundo hat-trick pelos monegascos, tornando-se no segundo jogador mais jovem na história da Ligue 1 a fazê-lo, apenas perdendo para Jérémy Menez em 2005, então com 17 anos e oito meses. Antes, tinha marcado três golos frente ao Rennes para a Taça de França.

Instagram

Nos últimos 12 jogos, acertou na baliza adversária por 13 vezes (!), tendo um média de um golo marcado a cada 88 minutos.

As exibições do jovem francês prenderam a atenção de Didier Deschamps, que o convocou para o encontro com o Luxemburgo a contar para a fase de qualificação para o Mundial 2018 a 25 de março, e para o amigável com a Espanha.

“Ele está a ter grandes prestações, tem marcado e contribuído com assistências. Está num excelente momento, e é bastante louvável o que ele tem conseguido, com a sua tranquilidade. É muito maturo para um jogador tão jovem”, afirmou o selecionador gaulês.

Sobre as comparações com Henry, o selecionador foi direto: “Não gosto de fazer comparações com jogadores de gerações diferentes, mas eles têm um perfil semelhante”.

E o que tem o próprio Henry a dizer sobre Mbappé? “Conheci-o e ele é um bom rapaz com uma boa cabeça sobre os seus ombros. Ele é muito respeitador e bastante quieto. Mas deêm-lhe a bola e ele a conversar já não é tão simpático. É determinado e nunca desiste. Tem muito talento, ele pode fazer tudo que quiser com a bola”.

Mbappé num treino da seleção francesa

Mbappé num treino da seleção francesa

FRANCK FIFE/Getty

Um pé no Real Madrid e admiração por Cristiano Ronaldo

Na antevisão ao jogo frente ao Atlético de Bilbao, Zinedine Zidane revelou que o Real Madrid esteve perto de assegurar a contratação de Mbappé, mas este acabou por rumar aos monegascos.

“Foi quase contratado pelo Real Madrid, mas depois preferiu assinar pelo Mónaco. Sabemos que é um grande jogador e que tem uma qualidade fantástica”.

Quando tinha 14 anos, o jovem esteve em Valdebebas a visitar as instalações dos “merengues”, mas o acordo não se materializou.

“Foi um momento incrível. O Zidane, um dos meus ídolos, estava interessado em levar-me para o Real, que é um dos maiores clubes do mundo… Mas eu não estava pronto para viver fora de França. Deixar a minha família, o meu país, a barreira da língua… A adaptação teria sido complicada. Ao escolher o Mónaco, fiz a decisão certa. O meu objetivo era começar a carreira em França e ter sucesso”, afirmou numa entrevista ao “Le Parisien”.

Tal como muitos jovens futebolistas, Mbappé idolatra Ronaldo, tendo aproveitado a visita a Madrid para registar o momento com o internacional português.

Em 2012, visitou a academia do Real Madrid, onde conheceu um dos ídolos

Em 2012, visitou a academia do Real Madrid, onde conheceu um dos ídolos

D.R.

Um “trampolim” para os mais novos

Que Mbappé está a fazer uma excelente temporada, isso já o mundo do futebol percebeu. O plantel do Mónaco destaca-se pela forte aposta em jogadores jovens, que tem sido política de alguns anos para cá e tem permitido catapultar as pérolas da equipa para emblemas de maior dimensão europeia.

Thierry Henry é um dos nomes mais sonantes do futebol francês, que se deu a conhecer ao mundo precisamente no emblema monegasco, onde se formou. Com 21 anos, depois de um bom início de época, transferiu-se para a Juventus por 12,5 milhões de euros.

Depois de ter sido adquirido por Dmitry Rybolovlev em 2011, o Mónaco passou a ser um clube visto com outros olhos na Europa, e os jovens que têm saído de lá desde então podem comprová-lo.

Em 2014-15 James Rodríguez tinha 22 anos quando deixou o Principado rumo ao Real Madrid por 75 milhões de euros. Um ano depois, foi a vez de Yannick Ferreira-Carrasco, também com 22, a rumar ao rival da capital espanhola por 17,25.

Nesse ano, as saídas de Kurzawa para o Paris Saint-Germain (25 milhões), Geoffrey Kondogbia para o Inter (36 milhões) e a “bomba” de mercado Anthony Martial – que viajou para Old Trafford por 50 milhões, mas num negócio que pode atingir os 80 - são os exemplos mais evidentes do potencial jovem do Mónaco.

Com 18 anos, Kylian Mbappé já tem a Europa atenta ao seu percurso, e é uma das figuras centrais da excelente temporada que a formação francesa está a concretizar. Mantendo este nível, no final do ano não será estranho se um “tubarão” vier buscar o jovem gaulês.