Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Ramos e Piqué saíram inimigos do jogo amigável

Os defesas espanhóis trocaram acusações e ironias ao defenderem os seus clubes após vitória sobre a França

Sónia Santos Costa

David Ramos

Partilhar

O bate-boca entre Sergio Ramos e Gerard Piqué parece não ter fim. Ambos querem ser os donos da última palavra neste debate e a imprensa desportiva internacional tem explorado esta rivalidade (ou será apenas uma brincadeira de amigos?). Juntos, integraram a defensiva espanhola no triunfo de 2-0 sobre a França. Até aí, os ânimos pareciam calmos. No entanto, após deixarem o campo, os jogadores assumiram a posição de Catalão vs. Madridista e trocaram farpas como gente grande.

Quem começou? Piqué. Saiu para a zona mista cheio de vontade de falar e atirou a primeira alfinetada a Ramos quando lhe perguntaram pelos árbitros, respondendo que estes os ajudaram porque jogaram de branco. De blanco.

Não se ficou por aí e continuou a atacar a postura do Real Madrid no que toca à arbitragem, insinuando que a vitória por seis a um contra o Paris Saint-Germain, nos oitavas de final da Champions League, não foi mérito da equipa.Eu não gosto dos valores que o Real Madrid transmite. Jamais trabalharia com eles. Não tenho problemas com os jogadores, tenho lá alguns amigos, não gosto é de ver as pessoas que controlam as rédeas deste país a vestir a camisola do Real. Curiosamente, quem decidiu as sanções do Messi e do Neymar estava do lado do Florentino... ”.

O ataque prosseguiu e o jogador não se conteve nas palavras que usou. “Fomos ajudados pelos árbitros? Quando o Real Madrid ganha a Champions League com um golo em fora-de-jogo do Sergio Ramos já não dizem nada!. Ouch! Com esta, tocou na ferida.

Sergio Ramos não se sentiu elogiado com as (in)diretas e quis defender os valores da camisola que enverga, descredibilizando as atitudes de Piqué (como se de um familiar desobediente e intriguista se tratasse). “Piqué? O que ele diz não vai mudar nada no Real. Não nos tira os últimos anos, os títulos… Isto faz parte da personalidade dele, não é com 30 anos que vai mudar. Temos de o apreciar como bom jogador de futebol, porque isso ele é. E de lhe dizer para usar branco mais vezes, cai-lhe muito bem”, ironizou, referindo-se à cor do equipamento que a seleção espanhola usou no jogo.

Quanto ao fora-de-jogo insinuado, não admitiu que lhe tirassem o mérito dessa forma. Com que então o meu golo na Champions estava fora-de-jogo? E o que dizer do Iniesta [referindo-se ao polémico golo do Barcelona contra o Chelsea, no europeu de 2009]?. Eles não podem falar, muito menos este ano”, disse. “Acho que o Real Madrid não vai ficar irritado com as palavras dele. Se tivesse sido o Iniesta, que nunca fala, ficavam incomodados…. Mas é o Piqué... é só mais uma, finalizou.

As críticas parecem duras, mas quando questionados pela imprensa acerca da sua relação de amizade, ambos respondem que é cada dia melhor e que vive destas brincadeiras. Será verdade que quanto mais se ofendem mais gostam um do outro? Aguardam-se mais capítulos desta telenovela até junho, no Macedónia-Espanha, quando descobriremos finalmente se os dois fazem as pazes dentro de campo.

Partilhar