Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Fernando Gomes é vice-presidente da UEFA

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol subiu na vida que tem na UEFA - o português foi esta quarta-feira eleito vice-presidente da entidade que manda no futebol europeu, mais ou menos nove meses após Portugal conquistar o Campeonato da Europa, em França

Expresso

MIGUEL A. LOPES / LUSA

Partilhar

Um dos cinco vice-presidentes da UEFA é, agora e pela primeira vez, português.

Fernando Gomes foi nomeado para o cargo esta quarta-feira, em Helsínquia, capital da Finlândia onde se está a realizar o Congresso da UEFA.

O líder da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ficará com a pasta do relacionamento com os clubes. A nomeação fará com que Fernando Gomes seja o presidente do Conselho de Administração da empresa que vai gerir a Liga dos Campeões, lê-se no site da FPF.

Deste modo, o português vai acumular cargos, já que, em 2015, foi eleito para o Comité Executivo da entidade, lugar que ocupará até 2019, face aos quatro anos de duração de cada mandato.

Contas feitas, estes são os prazos dos cargos que Fernando Gomes ocupa atualmente - presidente da Federação Portuguesa de Futebol até 2020; vice-presidente da UEFA até 2021; e membro do Comité Executivo da UEFA até 2019.

Ou talvez não o sejam, já que, no mesmo congresso, em Helsínquia, a UEFA aprovou a limitação de três mandatos para cada cargo. Logo, Fernando Gomes poderá manter-se na vice-presidência até 2028 e no Comité Executivo até 2027, caso se vá recandidatanto e seja sempre reeleito.

Antes de Fernando Gomes chegar ao Comité Executivo da UEFA, apenas três portugueses tinham alcançado semelhante cargo: Cazal-Ribeiro, eleito em 1968; Silva Resende, em 1984; e Gilberto Madaíl, em 2007, o antecessor de Gomes na liderança da FPF.