Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

La Liga. Três bis e um aleluia a Mascherano (que subiu a média de golos para... 0,01)

As bancadas de Camp Nou tremeram numa forte réplica do 'Clásico' do Bernabéu - tivemos Messi, Alcácer e até André Gomes a marcar ao Osasuna (7-1), mas o golo da noite foi do homem que nunca tinha marcado pelo Barcelona: Mascherano

Sónia Santos Costa

Alex Caparros

Partilhar

A Páscoa já passou há duas semanas mas o jejum de Mascherano só chegou agora ao fim. O jogador contribuiu para o 7-1 frente ao Osasuna com um penálti certeiro.

Num jogo em que Messi, Alcácer e André Gomes bisaram, este foi o momento mais especial - por ter sido um golo de quem menos se esperava. É que, ao todo, Javier Mascherano somava 318 jogos pelo Barcelona - e saiu de todos sem marcar. Mas 319 parecia ser o número da sorte do argentino de 32 anos.

Porque foi este golo tão especial? Façamos as contas.

Pela seleção argentina, Mascherano marcou pela última vez a 5 de junho de 2014. O jogo era amistoso, contra Trinidad e Tobago. Já lá vão 1056 dias.

Em nome de um clube, agitou as redes pela última vez corria 2010 e vestia a camisola do Liverpool. Marcou contra o Unirea, da Roménia, na Liga Europa. Há 7 anos - mais especificamente, 2617 dias.

Ou seja, a sua média de golos por jogo é de 0,01.

O 'Jefecito' não seria a primeira opção (nem a segunda, nem a terceira…) para marcar um penálti - e Rakitic até já estava prontíssimo para o fazer.

Mas os adeptos gritavam por Masche e Rakitic teve de acatar uma ordem... do presidente. "Ia batê-lo, mas o Piqué disse-me para deixar Mascherano marcar. Se o 'presidente' diz, devemos escutá-lo", explicou Rakitic depois do jogo, curiosamente referindo-se a Piqué como algo que o próprio já disse que quer ser: presidente do clube.

Voltando ao penálti, Mascherano acabou por não recusar. “Encaro a situação como quase anedótica. Foi mais uma demonstração de carinho do que outra coisa. O mais importante era a vitória e os três pontos. Não estava preocupado. Mas perante a insistência de todos foi difícil dizer que não. Não sabia como ia correr, mas só pensava que não queria ficar para a história por ter falhado aquele penalti.”, disse ao "Mundo Deportivo".

¡Felicitaciones!

Instagram

A estreia de 'Masche' no marcador dos culés não foi indiferente aos colegas de equipa, que o felicitaram pelo feito nas redes sociais.

Iniesta, Rakitić e Suárez foram alguns dos companheiros que se mostraram orgulhosos do argentino, já depois de também terem sido vistos a soltar umas gargalhadas no banco, após o golo.

Bis, Bis, Bis

A noite foi de festa para os 'blaugrana', mas não para o Osasuna, que acabou de descer de divisão.

As bancadas foram à loucura sete vezes, duas delas patrocinadas por Messi (homenageado no início do jogo pelo seu 500º golo e que não quis deixar de dar o ar de sua graça), outras duas por Paco Alcácer e mais duas oferecidas pelo português André Gomes (a primeira aos 30’ e a segunda a dar tranquilidade à equipa após o golo de Roberto Torres).

A goleada deu ao Barça os três pontos que precisava para continuar na posição cimeira da Liga - partilhada com o rival Real Madrid. Os merengues também totalizaram 78 pontos, depois da vitória de ontem frente ao Deportivo (6-2) - e ainda levam um jogo de atraso frente à equipa catalã.