Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Aaron Lennon, está tudo bem contigo?

Jogador do Everton foi encontrado a vaguear na rua. Clube diz que o internacional inglês está com problemas de stresse

Cláudia Alves Fernandes

Aaron Lennon tem 30 anos e joga no Everton há três épocas, depois de ter passado grande parte da carreira no Tottenham

Jan Kruger/Getty

Partilhar

Foi encontrado na rua "fora de si". Aaron Lennon, que veste a camisola do Everton na Liga inglesa, não chuta uma bola há quase três meses e, no domingo, foi levado pela polícia para avaliação hospitalar, por aparente desorientação.

A notícia foi avançada pela BBC e deixou o clube que ocupa o sétimo lugar da Premier League preocupado com o internacional inglês de 30 anos.

Lennon, camisola 12 do Everton, foi detido pela polícia quando vagueava pela rua, em Salford, Manchester. Perto de uma rua muito movimentada – a estrada M602 – a polícia interveio para que o pior não acontecesse. "Fomos chamados pelas 16h35 por preocupação com o bem-estar de um homem na estrada velha de Eccles", confirmaram as autoridades locais.

O clube do extremo inglês já confirmou que Aaron Lennon está a receber tratamento para uma doença relacionada com o stresse e mostrou o seu apoio: "Obrigado por todas as mensagens para o Aaron. Estamos a ajudá-lo neste momento difícil".

Na quinta-feira, dia 11, completam-se três meses desde que Aaron Lennon pisou pela última vez o relvado pelo Everton. O inglês tem apenas um golo marcado nesta época e soma 13 jogos.

Esta época Aaron Lennon só completou 13 jogos pelo Everton

Esta época Aaron Lennon só completou 13 jogos pelo Everton

Clive Mason/Getty

O internacional britânico chegou ao Everton em 2015 por 4 milhões de libras (cerca de 4,7 milhões de euros), depois de ter jogado pelo Tottenham, entre 2005/06 e 2014/15, e iniciado a carreira sénior no Leeds United, com apenas 16 anos.

Ronald Koeman, treinador do Everton, tinha vindo a público em abril dizer que o extremo "não estava em condições físicas para fazer parte da equipa".

"Amor e bênçãos" para Aaron

O mundo do futebol está solidário com o atleta. Um dos primeiros a mostrar apoio ao extremo foi Stan Collymore. O ex-futebolista, que guardou as chuteiras no Real Oviedo em 2001, admite também ter sofrido de depressão e desejou as melhoras a Aaron no Twitter. "Eu já estive nesse lugar e sei que ele vai ficar melhor com o apoio de todos".

Clark Carlisle, antigo presidente da Associação de Futebolistas Profissionais, também passou por problemas relacionados com a saúde mental e chegou mesmo a tentar o suicídio em 2014: "Amor e bênçãos para o meu antigo colega de equipa. Resolve isto, porque há muito mais para viver".

O antigo clube de Lennon mostrou também solidariedade: "Fica bem rápido, estamos todos a pensar em ti". E a Associação de Futebolistas Profissionais mostrou também estar a pensar nas melhoras de Aaron. "Estamos todos a pensar em ti e estamos aqui para te oferecer o nosso apoio."

Partilhar