Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Presidente da FIFA contra “idiotas racistas”

Gianni Infantino falou do caso de Muntari, internacional ganês que foi alvo de insultos racistas num jogo da Liga italiana e decidiu abandonar o relvado

Lusa

Michael Buholzer/Getty

Partilhar

O presidente da FIFA, o suíço-italiano Gianni Infantino, lamentou hoje a existência de idiotas com atitudes racistas no futebol e disse que vai abordar com o futebolista ganês Muntari, do Pescara, a forma de lutar contra esse problema.

"Vou falar com Muntari no sentido de trabalharmos juntos na abordagem deste problema. Infelizmente há idiotas em todo o lado, mas nós temos de lutar e trabalhar contra eles", disse Gianni Infantino, que falava antes do inicio da reunião do Conselho da FIFA, em Manama, no Bahrein.

Infantino estava a referir-se ao incidente que envolveu Muntari no jogo com o Cagliari, do campeonato italiano, a 30 de abril, que levou o médio a deixar prematuramente o relvado, em protesto contra os cânticos racistas.

O ganês queixou-se ao árbitro dos cânticos racistas de que estava a ser alvo, mas este exibiu-lhe um cartão amarelo pelos gestos veementes que fez e outro depois de abandonar o relvado, deixando o Pescara reduzido a dez unidades a poucos minutos do final do jogo que o Cagliari venceu por 1-0.

Muntari foi suspenso por um jogo depois de "ter sido avisado por duas vezes por causa dos seus protestos e por ter violado os regulamentos ao abandonar o relvado sem autorização do árbitro", mas a federação italiana de futebol (FIGC) anulou posteriormente essa punição.

Sobre os mesmos incidentes, a Liga italiana decidiu não sancionar o Cagliari, tendo em consideração que os gritos racistas partiram de uma dezena de espectadores, que representam menos de um por cento dos adeptos que se encontravam naquele setor do estádio".