Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Seis pessoas acusadas no caso da tragédia no estádio de Hillsborough

Vinte e oito anos depois, seis pessoas enfrentam acusações criminais nona tragédia que causou 96 mortos e vários feridos na meia-final da Taça de Inglaterra no estádio de Hillsborough

Expresso e Lusa

Dave Thompson/GETTY

Partilhar

O Ministério Público britânico acusou esta quarta-feira formalmente seis pessoas, incluindo o antigo chefe da polícia de South Yorkshire, pela morte de 96 adeptos na meia-final da Taça de Inglaterra no estádio de Hillsborough em 1989.

David Duckenfield, que liderava a operação de segurança no estádio, foi acusado de “homicídio por negligência grave”, por ter autorizado antes do tempo a abertura das portas de acesso, o que levou ao esmagamento de centenas de pessoas.

De acordo com o Ministério Público britânico, o ex-chefe da polícia de South Yorkshire tem a principal responsabilidade na tragédia: “Foi extremamente má a sua atuação e contribuiu substancialmente para a morte de cada uma das 96 pessoas que tão trágica e desnecessariamente perderam as suas vidas [no jogo entre o Liverpool e o Nottingham Forest]”, refere o “Guardian”. No geral, as críticas dizem respeito à atuação da polícia local na preparação do evento e no próprio dia do jogo, 15 de abril de 1989.

Três dos arguidos são acusados por sua vez de tentarem obstruir a Justiça, atrasando o curso do processo. O serviço de emergência e a Associação Inglesa de Futebol ficaram excluídos das acusações, uma vez que o Ministério Público considerou que as provas eram insuficientes.

As acusações do Ministério Público surgem cinco meses depois de a justiça britânica ter recebido novas provas que indiciavam mais suspeitos no caso.