Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

A lesão, as zangas com Ferguson e a má forma física: de quem é a culpa do declínio de Rooney?

É difícil saber como é que isto aconteceu: cedo batizado como prodígio precoce do futebol mundial, Wayne Rooney vê-se agora obrigado a sair da equipa de quase sempre, o United, para poder jogar. Uma lesão quase fatal, a forma como (não) tratou da sua forma física e as zangas com Ferguson marcaram o início do declínio. “Rooney tem 31 anos, mas joga como se tivesse 35”

Mariana Lima Cunha

getty

Partilhar

A jovem esperança do Everton. A nova estrela do United. O capitão indiscutível. O Pelé dos nossos tempos. Todos estes títulos pertenceram, em tempos, a Wayne Rooney, que os foi conquistando ano após ano a partir da sua oportunidade precoce, aos 16 anos, na equipa principal do Everton. Hoje, o melhor marcador de sempre do Manchester United e da seleção inglesa parece só ter direito a cognomes de desânimo: a estrela em queda, a desilusão rápida, uma memória boa de outros tempos, um observador desapontado na linha lateral.

Ninguém sabe exatamente como é que isto aconteceu – numa altura em que Rooney parece encaminhado para voltar ao Everton, a sua primeira casa, sucedem-se as análises sobre a carreira da estrela inglesa. O que correu mal? Será que a culpa é do seu próprio talento, que surgiu demasiado cedo e atingiu um pico precoce? Será da lesão mal curada em 2010, ou dos maus hábitos a tratar do seu corpo? Ou será que um cocktail de motivos, misturado com má sorte, o tornou o que é hoje?

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido

Partilhar