Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Morreu Bradley, o menino que emocionou Jermain Defoe (e todos nós)

Bradley Lowery lutava desde os 18 meses contra um neuroblastoma, uma forma rara de cancro. Morreu esta tarde, aos seis anos, junto da família

Lídia Paralta Gomes

Laurence Griffiths/Getty

Partilhar

O pequeno Bradley Lowery, o menino de seis anos cuja história emocionou Jermain Defoe, morreu esta tarde, após uma longa luta contra um neuroblastoma, doença cancerígena rara diagnosticada quando Bradley tinha apenas 18 meses.

A notícia foi dada através das redes sociais pelos pais de Bradley, Gemma e Karl, e também pelo Sunderland, clube do qual o menino era adepto e que lhe dedicou uma carta de despedida.

Foi numa visita ao hospital onde Bradley estava internado que Jermain Defoe, então avançado do Sunderland, conheceu o pequeno e a partir daí nasceu uma amizade que se manteve até aos últimos dias de vida do jovem - e sobre essa ligação falámos aqui ainda esta semana.

Nas últimas semanas, o estado de saúde de Bradley Lowery deteriorou-se e esta quinta-feira, durante uma conferência de imprensa, Jermain Defoe, que entretanto se transferiu para o Bournemouth, não conseguiu evitar as lágrimas ao falar sobre o sofrimento do amigo.

“Falo com a família todos os dias e estive com ele há pouco tempo. É difícil vê-lo a sofrer assim. Penso que será uma questão de dias”, disse o avançado inglês, que na última semana voltou a Sunderland para visitar Bradley pela última vez.

Jermain Defoe fez questão de estar presente na última festa de aniversário de Bradley, em maio, num altura em que este já recebia cuidados paliativos em casa, naquela que seria também uma espécie de despedida do menino que emocionou não só o avançado, como todo o futebol inglês. E todos nós.

Partilhar