Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

“O bem-estar e a dor do Bayern não dependem de Renato Sanches”, diz o presidente do Bayern

A continuidade do jovem português no emblema alemão volta a ser posta em causa, agora pelo presidente do clube, Uli Hoeness

Expresso

Renato Sanches chegou esta época ao Bayern de Munique, depois de um ano no Benfica, mas tem jogado pouco na Alemanha

CHRISTOF STACHE/GETTY

Partilhar

Há uns dias foi Karl-Heinz Rummenigge, CEO do Bayern de Munique, que lançou o tem: “O Renato não vai ter minutos suficientes no Bayern e por isso estamos dispostos a negociar a sua venda ou empréstimo, ou talvez algo mais. Nâo sou treinador, mas acho que o Renato precisa de continuidade”. E Rummeningge lá continuou, dizendo que não era treinador, que confirmava o interesse do AC Milan, mas que o negócio não se fizera depois dos primeiros contactos. Porquê? Dinheiro, claro.

O Bayern quer ser compensado financeiramente, mas não está fácil encontrar um clube que pague por quase 50 milhões de euros por um miúdo que esteve um ano praticamente parado.

E, por isso, hoje foi a vez do presidente, Uli Hoeness, voltar a Renato Sanches. “O bem-estar ou a dor do Bayern de Munique não depende de Renato Sanches. Toda a gente tem o mesmo objetivo na cabeça: o título da Liga dos Campeões está cada vez mais perto. Às vezes, não é o dinheiro que decide, mas uma boa estratégia.”

O treinador, Calro Ancelotti, também deixou uma porta aberta à saída do português, sem se comprometer, claro. “A mudança de Renato Sanches é uma possibilidade. Mas também pode dar-se o caso se ele ficar este ano connosco”.