Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Presidente do PSG paga regresso à Argentina de família retida no Qatar

O ato benemérito de Nasser Al-Khelaifi permitiu que uma mulher argentina tenha conseguido regressar a casa com as suas três filhas, após terem ficado retidas durante cerca de dois meses devido ao bloqueio imposto por países vizinhos do Qatar

Alexandre Costa

THOMAS SAMSON

Partilhar

O presidente do clube de futebol Paris Saint-Germain (PSG) pagou cerca de cinco mil euros pelos bilhetes de avião que permitiram a uma mulher argentina e às suas três filhas, retidas no Qatar desde 5 junho, finalmente regressarem ao seu país.

Valeria Marsili deslocara-se ao Qatar com as filhas para visitar o seu marido, Gabriel Aguero, que trabalha neste país como chefe de cozinha. Mas o bloqueio entretanto imposto pelos países vizinhos ao Qatar levou a que os voos de regresso, para os quais tinham bilhetes, tenham sido cancelados e sem direito a reembolso.

Marcelo Simonian, empresário de Javier Pastore, futebolista do PSG, soube do caso após este ter sido relatado pela agência France Presse, e contactou o presidente do clube francês e conhecido empresário do Qatar, Nasser Al-Khelaifi. “Disse-me de imediato que iria tomar conta do problema e resolveu o assunto”, relatou Simonian.

Marsili e as suas três filhas chegaram finalmente a Buenos Aires esta quarta-feira, proveniente de Doha, capital do Qatar, via São Paulo, Brasil. “Estamos cansadas mas felizes”, relatou Marsili, após mais de 20 horas de voo. “Felizmente isto foi resolvido e estamos de volta a casa”, acrescentou.