Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Barça prudente sobre independência catalã. Valverde diz que tudo muda a cada cinco minutos...

O mais representativo emblema desportivo da Catalunha não se irá pronunciar oficialmente sobre a proclamação unilateral da independência da região. O Barça joga amanhã em Bilbau com o Athletic e o Girona recebe o Real Madrid. O 'ayuntamiento' de Girona já retirou a bandeira espanhola

Isabel Paulo

Luis Tejido/ EPA

Partilhar

Até ao momento, nem os dirigentes do Barça ou do Girona manifestaram posições sobre a proclamação da independência catalã, aprovada esta sexta-feira pelo Parlamento local, avançando o site do jornal Marca que, em Camp Nou, não está prevista uma reação oficial. O jornal refere que, face à ilegalidade da medida, o Barcelona irá agir de forma prudente.

As reações que surgirem serão a título pessoal, uma atitude de prudência face à decisão do governo espanhol de invocar o artigo 155 da Constituição. Ernesto Valverde, técnico do Barça, não negou que está a acompanhar a situação, mas escusou-se a dar a sua opinião: “Tudo muda a cada cinco minutos. É política. E hoje ainda podem acontecer muitas coisas. Ontem foi um dia agitado, hoje também está a ser e ainda não acabou”.

Valverde afirmou, em conferência de imprensa, que a sua responsabilidade é que a equipa ganhe e responder ao lado quando questionado se imagina a La Liga sem o Barcelona: “Isso ainda não aconteceu, são suposições. Prefiro focar-me no jogo de amanhã com o Athletic”. E garantiu que os jogadores estão tranquilos, focados no futebol.

Quem já reação à contestada proclamação de independência foi Joan Laporta, ex-presidente do Barça, , que afirmou que “os sonhos tornaram-se realidade”, dedicando o momento “aos nossos avós, pais e filhos”.

A Plataforma Pro Selecciones Catalanes, no twitter, felicitou os catalães pelo “pleno reconhecimento da nossa identidade, também no desporto. Bem-vindos à República Catalã”. Antes do polémico referendo de 1 de outubro, Javier Tebas, presidente da La Liga, advertiu que os clubes catala~es não teriam permissão para jogar no campeonato nacional, em caso de secessão unilateral. No futebol profissional, a independência excluiria ainda o Espanhol, Girona, que amanhã recebe o Real Madrid, e ainda os clubes da UU divisão Nàstic e Reus.