Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Quaresma: “Falo aquilo que penso e no futebol quando tu falas aquilo que pensas já és o bad boy”

Internacional português foi entrevistado pelo beIN Sports e negou mais uma vez ser um jogador conflituoso. O extremo do Besiktas admitiu ainda que o único treinador que lhe deu confiança na Seleção Nacional foi Fernando Santos

Expresso

Alex Livesey/Getty

Partilhar

Sobre as trivelas

“Havia treinadores que ficavam chateados, porque me pediam para cruzar normal, mas eu metia sempre a trivela. Alguns treinadores pensavam que eu não estava a fazer aquilo que eles pediam, mas depois começaram a perceber que era normal, não era por falta de respeito ou de concentração. Era normal. A partir daí não tive mais problemas e de vez em quando ainda me saem algumas trivelas. Agradeço a Deus todos os dias pelo talento que me deu, por poder chegar dentro do campo e fazer aquilo que mais gosto de fazer e fazer coisas diferentes de muitos jogadores. De dia para dia divirto-me mais a jogar futebol”.

Bad boy? Naaaa

“Problemas com treinadores? Não. Sempre me meteram a fama de bad boy, do jogador que causava problemas em todo o lado. Eu nunca fui de problemas, sempre fui o que sou hoje: sou uma pessoa direta, o que tenho de falar, falo. Falo aquilo que penso e no futebol quando tu falas aquilo que pensas já és o bad boy”.

Seleção Nacional

“Antes, o que me faltava era confiança. Nunca a senti na Seleção e já disse isto várias vezes: o único treinador que eu sinto que confia em mim, que me passa essa confiança é o Fernando Santos. De nenhum dos outros senti essa confiança. Talvez por isso nunca tenha feito grandes jogos na Seleção, porque sinceramente não sentia confiança da parte dos treinadores”.

Saída do FC Porto

“Estava no FC Porto e tinha um treinador [Julen Lopetegui] que não contava comigo e eu achava que ainda tinha muita coisa para dar ao futebol. O Besiktas mostrou interesse que eu voltasse ao clube, para ajudar a equipa a voltar aos títulos”