Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Cai neve em Manchester, faz sol para o City

Num intenso e emocionante dérbi de Manchester, foi o City de Guardiola a acabar a sorrir, ao vencer o United por 2-1 em pleno Old Trafford. A equipa de Mourinho fica assim já a longínquos 11 pontos dos vizinhos e rivais, cada vez mais primeiros, cada vez mais perto do título

Lídia Paralta Gomes

OLI SCARFF/Getty

Partilhar

Com 11 pontos de vantagem para o 2.º classificado à 16.ª jornada da Premier League, só um evento altamente cataclísmico deverá afastar o Manchester City do título inglês. O dérbi de Manchester deste domingo parecia a derradeira hipótese da história da temporada se reescrever, mas a equipa de Pep Guardiola foi a Old Trafford vencer o United de Mourinho por 2-1, num encontro intenso, num jogo disputado sob neve e que se resolveu nos erros.

Na 1.ª parte, as equipas foram iguais a si próprias: o City a jogar apoiado, com percentagens de posse de bola entre os 75% e os 80% e o United a conter a avalanche de ataque dos citizens, que acabariam por só conseguir marcar num lance de bola parada, já perto do intervalo. Na sequência de um canto e após uma enorme defesa de De Gea, Otamendi ganhou nas alturas à marcação individual de Lukaku e a bola sobrou para David Silva que em frente à baliza só teve de encostar.

Um golo que acabou por desconcentrar os visitantes, com o United a demorar apenas 5 minutos a empatar, já nos descontos da 1.ª parte. Delph falhou a abordagem a um cruzamento aparentemente inofensivo e Rashford acabou por aproveitar para bater Ederson.

Guardiola ganhou o duelo de gigantes a Mourinho

Guardiola ganhou o duelo de gigantes a Mourinho

OLI SCARFF/Getty

Após o intervalo o jogo mudou de cara, com o United a obrigar o City a fazer um jogo mais físico e a jogar sem bola. Ainda assim, foi a equipa de Pep Guardiola a marcar, aos 54 minutos, aproveitando mais um erro de Lukaku num lance de bola parada. Após um livre lateral, o avançado belga aliviou para onde estava virado mas o remate saiu-lhe mal e embateu nas costas de Rashford. O ressalto sobrou para Otamendi e o central argentino colocou novamente o City na frente.

Daí até ao final o Man. United carregou, obrigou o City a encostar-se à sua baliza e esteve mesmo muito perto de marcar aos 85 minutos, com Ederson a defender um remate à queima-roupa de Lukaku com a cara e também a recarga de Mata.

Bernardo Silva entrou aos 88 minutos, para o lugar de Sané e teve ainda oportunidade de marcar, num lance ao qual De Gea se opôs bem.

Com esta derrota, o United fica assim a 11 pontos da liderança, mas isolado no 2.º lugar, com 35 pontos, já que o Chelsea, 3.º classificado, também perdeu nesta jornada, mantendo os 32 pontos. Já para o City foi a 14.ª vitória seguida na Premier League, um recorde na história da principal divisão do futebol inglês.

  • O belo e o monstro

    Futebol internacional

    Não é um romance, mas um duelo de "gémeos" (leia mais abaixo para perceber porquê): este domingo (16h30, SportTV3), há dérbi de Manchester entre o United do "defensivo" José Mourinho, 2º classificado com 35 pontos, e o City do "ofensivo" Pep Guardiola, líder com 43 pontos em 15 jogos