Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Cyrille Regis: morreu o futebolista negro que se alimentava do racismo inglês

Regis não foi só um bom jogador, mas uma figura icónica do futebol inglês dos anos 70 e 80 na luta contra o preconceito racial. Tinha 59 anos

Expresso

Russell Cheyne

Partilhar

30 de dezembro de 1978. Estádio do Manchester United, Old Trafford.

A euforia do futebol cruza-se com a tensão racial própria da época. O comentador do jogo na altura, Gerald Sinstadt, interrompe o seu próprio relato várias vezes: “a bancada volta a assobiar os jogadores negros”, diz.

Entre gritos de festejo dos 5 golos que o West Bromwich Albion marca a um incrédulo Manchester United, que acaba a partida derrotado com 3 golos, misturam-se gritos de desprezo e insultos. Várias bananas são atiradas das bancadas para o campo num ato vil de “protesto” racista. A razão? Três jogadores negros fazem parte pela primeira vez da mesma equipa, o West Brom. Entre eles está Cyrille Regis.

Não por isso os três jogadores negros – Cyrille Regis, Laurie Cunningham e Brendon Batson – se deixam desanimar: a prova disso é a vitória diante Manchester United no fim da partida.

Regis chega a referir em inúmeras entrevistas que é o abuso dos comentários racistas que lhe servem de “alimento” para melhorar a sua prestação. “Quanto mais abuso recebia, mais ia canalizando a minha raiva para a minha prestação em campo”, diz a sua autobiografia.

Assim se consagra Regis não só como um jogador de futebol de renome, mas também como uma “icónica figura” na luta contra o racismo e a descriminação, refere a página oficial do West Bromwich Albion.

Esta segunda-feira, Regis morreu e o clube anunciou com pesar: “o West Bromwich Albion está hoje profundamente triste e chocado de comunicar que um dos nossos melhores jogadores, Cyrille Regis, faleceu aos 59 anos”.

Para além da sua participação como avançado no West Brom e na seleção inglesa, Regis chegou a passar também pelo Molesey, Hayes, Coventry City, Aston Villa, Wolverhampton Wandereres, Wycombe Wandereres e Chester City.

Natural da Guiana francesa, Cyrille Regis nasceu a 9 de fevereiro de 1958, tendo o futebol e o desporto entrado na sua vida desde tenra idade quando se mudou com o pai, e com a restante família, para a Inglaterra.

Depois de se aposentar como jogador de futebol, em 1996, passou a fazer parte dos quadros técnicos do West Brom acabando finalmente por se tornar agente de futebol.

Deixa viúva a sua segunda mulher, Julia, a qual já expressou na página oficial do West Brom a dor da sua perda e os agradecimentos ao apoio que tem recebido.